Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRIBUNAL POLÍTICO

Vereadores julgam prefeito acusado de crimes contra administração

Vereadores julgam prefeito acusado de crimes contra administração
12/03/2014 00:02 - DA REDAÇÃO


A Câmara Municipal de Campo Grande decide hoje, a partir das 14h, o destino do prefeito Alcides Bernal (PP), acusado de praticar crimes contra a administração pública. À véspera da sessão de julgamento do pedido de cassação do mandato, o clima é de guerra nos bastidores, segundo reportagem na edição desta quarta-feira (12) do jornal Correio do Estado.

Vereadores da oposição estão sendo pressionados pelo secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, professor Pedro Chaves, a votarem contra o afastamento do prefeito em troca de vantagens. Não importa o “custo político” para livrar Bernal da cassação. O prefeito está disposto a abrir as portas do Executivo para atender as reivindicações dos vereadores.

Bernal usou de todas as manobras para impedir o julgamento. Ele vinha se escondendo do Oficial de Justiça para não ser notificado da sessão de hoje. Mas acabou surpreendido com a presença do Oficial de Justiça no saguão do Aeroporto Internacional de Campo Grande, na noite de segunda-feira (10), para intimá-lo. Ele recusou assinar o documento. Mesmo assim, o Oficial de Justiça o considerou por intimado.

Rito
Mesmo com a suspensão do julgamento, no ano passado, segundo o presidente da Casa de Leis, Mario Cesar (PMDB), o rito deve será feito desde o início. Os vereadores tinham a opção de continuar de onde havia parado, leitura do relatório da comissão, mas decidiram repetir tudo para não haver questionamentos. Desta forma, às 14h de hoje, a Mesa Diretora lerá a denúncia, em seguida o relatório final da CP que contém 104 páginas. Ao término da leitura cada vereador disporá de 15 minutos para explanar sobre o assunto, mas o legislador não é obrigado a se pronunciar.

Depois é a vez e o denunciado, no caso o prefeito, fazer defesa. Para isso terá duas horas e pode não ocupar o tempo inteiro. Segundo o líder de Bernal na Câmara, Marcos Alex (PT), Bernal pretende ir à sessão. No entanto, como não compareceu a nenhum depoimento durante os trabalhos da processante, pode repetir a ausência e mandar o advogado Jesus de Oliveira Sobrinho em seu lugar, como fez em todas as ocasiões que precisou ir à Casa e Leis durante a apuração das denúncias. A reportagem é de Adilson Trindade e Jéssica Benitez.

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...