Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

Água

Vereadores ameaçam barrar reajuste de água

10 DEZ 2010Por anahi zurutuza03h:35

Vereadores de Campo Grande ameaçam suspender Decreto de Lei do Município que reajustou em 8,91% a tarifa de água e esgoto cobrada pela concessionária Águas Guariroba na Capital. A Câmara Municipal aprovou ontem, por unanimidade, requerimento de urgência coletivo convocando o diretor-presidente da Agência de Regulação dos Serviços Públicos e Delegados de Campo Grande (Agreg), Marcelo Amaral, e o presidente da Águas Guariroba, José João de Jesus da Fonseca, que compareçam à Casa de Leis no dia 15 deste mês para dar explicações sobre o aumento.

Caso não fiquem satisfeitos com as justificativas, segundo o presidente da Câmara, Paulo Siufi (PMDB), vereadores pode instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis irregularidades nas “contas” da Águas Guariroba e até baixar Decreto de Lei do Legislativo suspendendo o Decreto do Executivo que autorizou o reajuste. “Aqui não tem barganha, aqui tem trabalho. Nós estamos cumprindo com as nossas obrigações, vamos convocar a Águas Guariroba, a Agência de Regulação para dar explicações e se preciso for vamos suspender o decreto e abrir uma CPI”.

Depois de reação do deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB), que apresentou na sessão da Assembleia Legislativa de terça-feira (7) requerimento para que a empresa apresente à casa as planilhas que detalham receita e despesas da concessionária e que justifiquem o segundo aumento consecutiva da cobrança de água e esgoto, o vereador Paulo Pedra (PDT) usou a Palavra Livre ontem na sessão da Câmara Municipal para afirmar que o reajuste é abusivo, já que está acima da inflação, que foi de 5,38% dos últimos 12 meses em Campo Grande. A pedido dele foi feito requerimento convocando a Águas e a Agreg.

O reajuste, que passa a vigorar em janeiro de 2011, foi autorizado pela Prefeitura de Campo Grande na semana passada.

Leia Também