Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Verba não prevista na rescisão pode ser pleiteada na Justiça

16 AGO 10 - 22h:19
brasília

O Tribunal Superior do Trabalho decidiu que pode ser pleiteada na Justiça a verba não constada em termo de recisão trabalhista. Este foi o entendimento da 5ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho, ao acolher recurso de revista de ex-funcionário da Telemar Norte Leste S.A.
O relator do processo na 5ª Turma, ministro Emmanoel Pereira, concluiu que o Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região não observou a jurisprudência do TST. O relator apresentou decisões no sentido de que a quitação abrangeria tão somente as parcelas expressamente consignadas no recibo. Assim, de acordo com o artigo 477, § 2º, da CLT e com a Súmula 330, se as horas extras não constaram no termo de rescisão, não haveria impedimento para que tais verbas fossem pleiteadas na Justiça Trabalhista.
Após sua dispensa, um ex-funcionário da empresa propôs ação trabalhista para obter reflexos de horas extras sobre repouso semanal remunerado — parcela não consignada no Termo de Rescisão Contratual, assinado com a assistência do sindicato.
O juiz de primeiro grau concedeu o pedido ao trabalhador e a Telemar recorreu ao TRT-7. Alegou ofensa à Súmula 330 do TST. A súmula reproduz o entendimento de que a quitação passada pelo empregado, com assistência da entidade sindical de sua categoria, tem eficácia liberatória em relação às parcelas expressamente consignadas no recibo, salvo se oposta ressalva expressa e especificada ao valor dado à parcela ou parcelas impugnadas. Segundo o item I do verbete sumular, a quitação não abrange parcelas não consignadas no recibo de quitação e, consequentemente, seus reflexos em outras parcelas, ainda que estas constem desse recibo.
O TRT, ao julgar o recurso da empresa, reformou a sentença e considerou indevido o reflexo das horas extras. Da Súmula 330, o regional entendeu que somente as parcelas com ressalvas poderiam ser questionadas na Justiça.
A 5ª Turma, por unanimidade, deu provimento ao recurso de revista do trabalhador para restabelecer a sentença. Com informações da Assessoria de Comunicação Social do TST.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Justiça nega pedido para instalação de barreiras contra o óleo no litoral de Sergipe

BRASIL

Palácio tenta 'trégua' com ala bivarista

BRASILEIRÃO 2019

Presidente do Santos quer reunião com Ceará para repudiar atos racistas

Bombeiros encontram corpo de 8ª vítima de desabamento em Fortaleza
BRASIL

Bombeiros encontram corpo de 8ª vítima de desabamento em Fortaleza

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião