Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Venezuela retira TV da oposição de transmissão a cabo

24 JAN 2010Por 15h:20
     

        Caracas

        A Venezuela determinou no sábado que as empresas de TV a cabo parem de transmitir um canal de oposição, que foi retirado da televisão de livre acesso em 2007 pelo presidente Hugo Chávez, em um caso que gerou críticas internacionais.

        Líderes da oposição dizem que presidente de esquerda Chávez está tentando controlar a mídia privada para bloquear a cobertura do crescente descontentamento da população. Simpatizantes de Chávez apoiam as medidas, citando os excessos da mídia, incluindo o apoio a um golpe fracassado de 2002.

        O ministro das Obras Públicas da Venezuela, Diosdado Cabello, disse que programação das redes a cabo pode incluir apenas as estações que obedeçam a lei de radiodifusão venezuelana. O governo notificou a rede de oposição, a RCTV, na sexta-feira, alegando que a sua programação viola a lei.

        "Aqueles senhores que têm empresas que fornecem televisão a cabo ... devem respeitar a lei", disse ele em uma coletiva de imprensa. "Eles não podem ter qualquer estação na sua programação, que não obedeça à lei."

        As medidas apoiadas por Chávez limitam a transmissão de conteúdo adulto e linguagem obscena em certos horários e obrigam estações a exibirem discursos de Chávez, que às vezes duram horas.

        Em 2007, Chávez negou a renovação da concessão de transmissão da RCTV, acusando canal de participação no golpe que o derrubou por um breve período.

        A decisão foi criticada por grupos internacionais de liberdade de imprensa e pelos Estados Unidos, que acusaram Chávez de tentar limitar a liberdade de expressão.

        A RCTV, por sua vez, criou um canal a cabo internacional, com sede em Miami, para evitar restrições de seu conteúdo. Mas o governo determinou que a estação ainda estava sujeita a restrições em seus programas, pois a maioria do conteúdo é produzido na Venezuela.

        Com Agências
        

Leia Também