domingo, 22 de julho de 2018

Vendedora é dada como morta e tem de provar que está viva em Joinville

18 AGO 2009Por 16h:52
     

 

A vendedora Juliana Gonçalves Amaral, 31 anos, tenta provar, desde 3 de julho deste ano, que está viva, em Joinville (SC). Ela descobriu que era dada como morta quando tentou sacar a primeira parcela do seguro-desemprego. O pedido do benefício estava cancelado pelo motivo de "morte", como aparece no extrato da Caixa.

 

Desempregada e sem poder sacar o valor do seguro-desemprego, Juliana disse que está tendo dificuldade de honrar os compromissos financeiros assumidos durante o período em que estava empregada.

 

Ela é casada, tem duas filhas, de 11 meses (Nathália) e de 6 anos (Stella). "O meu maior problema agora não é nem estar morta para o Ministério do Trabalho, porque sei que estou viva. A dificuldade mesmo é conseguir pagar as contas que estão vencendo."

 

 

Com informações do G1

Leia Também