Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 23 de fevereiro de 2019 - 18h14min

Espetinhos

Vendedor responsabilizado por homicídio no Bairro Santo Amaro

29 JUN 10 - 07h:23
karine cortez e  NADYENKA CASTRO

A Polícia Civil indiciou pelo crime de homicídio doloso – com a intenção de matar –, o vendedor de espetinhos, Reginaldo Alexandre da Silva, 40 anos, que pode ter a prisão preventiva decretada nos próximos dias, conforme informou o titular da 7ª delegacia de Campo Grande, Natanael Costa Balduino.
Ele é acusado de matar o jovem Adriano Augusto Ribeiro Ajala, 33 anos, no último dia 15 depois de discutirem. “Vou ouvir algumas testemunhas e depois das oitivas poderemos saber se será necessário o pedido de prisão preventiva do acusado”, disse o delegado.

O crime aconteceu na noite de terça-feira (15), na Rua Miranda esquina com a Rua Constantinopla, no Bairro Santo Amaro, no momento em que o rapaz recebeu uma facada no coração durante briga com Reginaldo que teria ocorrido depois que Adriano saiu correndo, bastante exaltado, atrás da namorada o que despertou a atenção de Reginaldo e uma outra pessoa que acabaram os seguindo.

Irritado, Adriano foi até a banca de espetinho de Reginaldo, acompanhado do irmão, para tomar satisfação e acabaram se agredindo.
Momentos antes de ter início a briga entre Reginaldo e Adriano, por volta das 19h, a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de perturbação de sossego alheio, na Rua Miranda, porque Adriano estaria incomodando vizinhos com o som alto numa residência onde torcedores, inclusive ele, comemoravam a vitória do Brasil.

Julgamento
Por outro lado, o conselho de sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, julga hoje Marcelo de Oliveira Vargas, acusado de matar o empresário Marcelo Zanardo, no dia 22 de setembro do ano passado. O júri está marcado para as 8 horas e será presidido pelo juiz Aluízio Pereira dos Santos.

Marcelo responde pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e com recurso que dificultou a defesa da vítima, que morreu com oito facadas. De acordo com o Ministério Público Estadual, o empresário foi morto quando estava nú e após uma discussão com o réu. O crime aconteceu em uma residência no Bairro Tiradentes, que havia sido alugada pela vítima alguns dias antes. Depois do assassinato, o acusado furtou o aparelho de celular, R$ 213, documentos e o Fiat Palio do empresário.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Governo informa que dois caminhões com ajuda entraram na Venezuela

BRASIL

Bolsonaro resgata medidas rígidas que foram propostas pelo PT

Comercial tropeça para Costa Rica e adia classificação
ESTADUAL 2019

Comercial tropeça para Costa Rica e adia classificação

VENEZUELA

'Dia D' de missão humanitária na Venezuela tem confrontos com militares

Mais Lidas