Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

IBGE

Vendas no varejo recuam 0,4% em fevereiro

12 ABR 11 - 09h:21g1

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro caiu 0,4% em fevereiro, na comparação mensal, com ajuste sazonal, após nove meses seguidos de taxas positivas, segundo mostrou, nesta terça-feira (12), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mesmo período, a receita nominal ficou estável. As vendas no acumulado no ano registraram alta de 8,2% e, nos últimos 12 meses, de 10,4%. Já a receita nominal tem alta de 13,2% no acumulado no ano e de 14,4%, em 12 meses.

Das dez atividades pesquisadas pelo instituto, três registraram taxas positivas quanto ao volume de vendas: tecidos, vestuário e calçados (1,4%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,4%); e combustíveis e lubrificantes (0,1%).

Na outra ponta, apresentaram resultados negativos hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3%); veículos e motos, partes e peças (-1,1%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos(-1,4%); material de construção (-1,5%); móveis e eletrodomésticos(-2,8%); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação(-3,1%); e livros, jornais, revistas e papelaria(-4,7%).

Sobre 2010
Na comparação anual, todas as atividades analisadas apontaram crescimento. A maior alta foi registrada pelo ramo de móveis e eletrodomésticos, com aumento de 20,5%. Segundo o IBGE, esse resultado reflete as condições favoráveis de crédito, a manutenção do crescimento do emprego e do rendimento e a estabilidade de preços. Em seguida, exercendo a segunda principal contribuição para o índice geral, aparece o setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, 2,3%.

Outros artigos de uso pessoal e doméstico subiram 12,2%; tecidos, vestuário e calçados, 13,6%; combustíveis e lubrificantes, 7,3%; artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, 10,4%; equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, 14,6%; e livros, jornais, revistas e papelaria, 13,9%.

Por região
Segundo o IBGE, a atividade varejista cresceu em 27 unidades da federação em relação ao mesmo período do ano anterior. Os destaques partiram de Tocantins (31,1%); Paraíba (30,6%); Maranhão (20,2%); Acre (16,0); e Minas Gerais (14,6%).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Judiciário e governo buscam reduzir milhões de ações contra o INSS

São abertas cerca de 7 mil novas demandas diariamente contra o órgão
Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA
ECONOMIA

Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA

COMPRA DE ENERGIA

Diretor de Itaipu acredita que acordo com Paraguai sairá em breve

STJ nega recurso e prefeitura deve indenizar moradores por alagamentos
SERRADINHO

STJ manda prefeitura indenizar moradores por alagamentos

Mais Lidas