Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

acúmulo de pontos

Vendas de milhas aéreas vira negócio na Web

3 ABR 2011Por 11h:41

Proibida pelas companhias aéreas no contrato de adesão a seus programas de acúmulo de pontos, a comercialização de milhas vem se tornando uma prática cada vez mais comum e profissionalizada com direito a cotação diária, assim como ocorre com as ações em bolsas de valores. O que para muitos usuários se resumia à emissão de passagens para terceiros – o que é permitido pelas aéreas – agora se transformou em um verdadeiro comércio paralelo que envolve agências de turismo, empresas especializadas na compra e venda de milhas e consumidores dispostos a ganhar uma grana extra com os milhares de pontos acumulados. Os negócios são realizados livremente via internet, plataforma mais utilizada para esse tipo de comércio.

As companhias aéreas nacionais, em especial a TAM e a Gol, que possuem os programas de maior adesão no país (TAM Fidelidade e Smiles) – apesar de deixarem claro que a prática comercial dos benefícios, se comprovada, representa exclusão do cliente do programa de fidelização e cancelamento dos pontos acumulados –, fazem vista grossa para a situação. Os anúncios de negociação das milhas se multiplicam livremente pela internet, assim como as empresas que exploram este mercado. Sem se identificarem, proprietários de sites garantem que nunca sofreram qualquer retaliação das companhias aéreas por exercerem a atividade.

Uma rápida busca pelo Google com as palavras “vender milhas” dá ideia da dimensão que este negócio vem ganhando. Nos próprios links patrocinados do localizador, posicionados no canto direito da tela ou destacados em amarelo na área de resultados da busca, há vários anúncios de empresas especializadas na transação de milhas. Muitas delas oferecem até cotação on-line, que varia de acordo com a oferta e a demanda, bem como com a companhia aérea na qual serão emitidas as passagens. Ontem, 10 mil milhas na TAM, volume necessário para comprar um trecho para destinos nacionais e na América do Sul, podiam ser vendidos, em média, por R$ 300, enquanto a mesma quantidade na Gol estava cotada a R$ 280.

Leia Também