Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ALTA NOS JUROS

Vendas de carro devem desacelerar

25 MAR 11 - 00h:01INFOMONEY

Apesar de as vendas de veículos continuarem crescendo, elas devem desacelerar nos próximos meses, pois os reflexos das contas de início de ano e das medidas macroprudenciais do Banco Central, iniciadas em dezembro, começam a aparecer agora.

De acordo com o economista da Agência de Varejo Automotivo MSantos, Ayrton Fontes, os estoques das montadoras e concessionárias estão se normalizando, mas a tendência é que comecem a subir novamente. “A tendência é que suba porque a pressão é muito forte. As montadoras não param de produzir”, considera.

Os últimos dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), divulgados na terça-feira (22), mostram alta de 9,33% nas vendas de automóveis e comerciais leves. Nos primeiros 15 dias de março, 142.369 unidades foram vendidas. O número também é 8,13% maior frente aos 131.667 autos e comerciais leves vendidos na primeira quinzena de março do ano passado.

Vendas
Para o economista, entre abril e maio as vendas devem desacelerar e podem chegar a cair. Tudo isso como efeito do aumento das taxas de juros dos financiamentos gerado pelas novas medidas do Banco Central e também com o início do aumento da inadimplência.

Segundo os dados da Peic Nacional (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), realizada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), o percentual de famílias endividadas recuou 0,5% em março, índice baixo perto das altas verificadas nos dois primeiros meses do ano. Apesar da leve queda, o número de famílias que se dizem muito endividadas passou de 13,7% para 15,3%.

A cotação do dólar, ainda desvalorizado frente ao real, também ajuda a compor esse cenário. “As montadoras estão com dificuldade de exportar”, diz Fontes. E isso só amplia as chances de os estoques aumentarem. “As concessionárias estão desesperadas, estão vendendo a preço de custo”, afirma.

Comprar ou não?
Com o cenário atual, é melhor comprar um carro agora ou deixar para depois? Para o economista, a vantagem de adquirir um veículo agora é só para quem tem dinheiro para dar de entrada. “Quem tem, consegue um financiamento melhor, a juros menores”, explica. De acordo com Fontes, nesses casos, é possível conseguir taxas a 1,6% ao mês.

“Para quem não tem dinheiro para a entrada, não aconselho comprar carro agora”, afirma. Com as altas das taxas de juros dos financiamentos de veículos, nessas situações, o consumidor pode chegar a pagar uma taxa de 2,5% ao mês, dependendo da instituição financeira e do prazo.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Segunda Turma do STF nega a Lula suspeição de Moro na ação do Instituto

BRASIL

Maia: pacote anticrime está 'quase maduro' e poderá ser votado em algumas semanas

BRASIL

EUA estão preocupados com impacto de incêndios na Amazônia

Incêndio assusta no Parque dos Poderes
CAMPO GRANDE

Incêndio assusta no Parque dos Poderes

Mais Lidas