Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Varejo

Vendas crescem 13% e lojas têm o melhor Natal desta década

18 DEZ 2010Por ADRIANA MOLINA e edivaldo bitencourt05h:15

Nos primeiros 15 dias deste mês, as vendas no comércio de Campo Grande tiveram aumento de 13,65% em relação ao mesmo período do ano passado. O número sinaliza que o crescimento vai superar as expectativas do setor, que previa incremento de 9% a 11% neste fim de ano, que deverá ter o melhor Natal da década. Em relação ao mesmo período de novembro, o aumento é de 53,73%, segundo a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG).

O balanço já reflete a liberação da primeira parcelado 13º salário, que vai injetar cerca de R$ 1,3 bilhão em Mato Grosso do Sul, conforme cálculo da entidade. A segunda parcela será liberada na segunda-feira. E a procura vem surpreendendo os empresários. Após crescer de 8% a 10% em 2009, o setor esperava acréscimo de até 11% nas vendas nesta época. Os dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) apontam para crescimento de 13,92%, de 28,8 mil consultas, em dezembro de 2009, para 32,8 mil na primeira quinzena deste mês. O comércio já prepara o espumante para comemorar o melhor faturamento do Natal dos últimos 10 anos.

“Temos percebido que o consumidor está se sentindo mais seguro para comprar e, embora o 13º seja pago todo ano, é um dinheiro que sempre existiu, desta vez ele está vindo antecipado – oito dias antes do Natal, o que tende a incrementar ainda mais as vendas da data”, disse o presidente da ACICG, Luiz Fernando Buainaim, se referindo à liberação do abono natalino dos servidores públicos estaduais que ocorreu ontem, num total de R$ 150 milhões. A prefeitura libera R$ 35 milhões neste sábado para pagar o 13º dos funcionários municipais.

Menos endividados
A recuperação do emprego formal e maior oferta de crédito também influencia no resultado dos caixas das lojas. A geração de empregos bateu recorde no ano, os juros não subiram e houve queda no endividamento em Campo Grande. Segundo o SCPC, o percentual de endividamento caiu de 5,27% para 5,14%.

“Parece uma pequena redução mas não é. O número é expressivo porque ao mesmo tempo em que houve essa queda, as vendas cresceram 11% no ano. Isso, somado a todo esse contexto de Selic estagnada, inflação controlada e maior crédito e emprego indica que o endividamento está bem menor do que em 2009”, explicou o gerente do SCPC em Campo Grande, Valdineir Ciro de Souza.

A campanha Nome Limpo teve a adesão de 10.690 consumidores, que pagaram dívidas de R$ 3,7 milhões e saíram do cadastro do órgão.

Leia Também