Segunda, 18 de Dezembro de 2017

automobilismo

Venda em alta de picape mostra que EUA ainda preterem carros 'verdes'

19 JAN 2014Por FOLHA PRESS13h:00

A Ford fez sua apresentação à imprensa em Detroit na Joe louis Arena, estádio do Red Wings, time de hóquei da cidade. É um exagero, pois o número de jornalistas presentes está longe de lotar o ginásio. Contudo, a escolha combina com o porte do automóvel apresentado: a nova picape Ford F-150, o veículo mais vendido do mercado norte-americano.

Foram comercializadas 763,4 mil unidades do modelo em 2013, e espera-se que esse montante suba ainda mais em 2014, impulsionado pelo novo desenho do carro e por uma consistente retomada nas vendas do setor nos EUA. Com média de uma F-150 vendida a cada 41s, a picape da Ford aparece renovada em Detroit.

Para comparar, o compacto VW Gol, o carro mais vendido do Brasil, teve cerca de 255 mil emplacamentos no ano passado. Os dados são das associações de fabricantes do Brasil e dos EUA, respectivamente.

A F-150 não está sozinha na preferência do consumidor norte-americano. O segundo modelo mais comercializado também é um picape grande: a Chevrolet Silverado, que igualmente acaba de ser renovada. A RAM, que é feita grupo Fiat Chrysler, aparece na quinta posição.
Esse tipo de produto é o que proporciona a maior margem de lucro para a indústria automobilística dos EUA.

A soma de todos os carros vendidos nesse segmento no ano passado chega a 2,2 milhões de unidades. Isso corresponde a 61% das vendas totais de carros de passeio e comerciais leves no mercado brasileiro no mesmo período.

Quem considera modelos como Chevrolet S10 e Toyota Hilux avantajadas, irá chamar de caminhões estas picapes líderes nos EUA.

A nova F-150, por exemplo, tem mais de seis metros de comprimento na versão cabine dupla -quase o dobro do tamanho de um hatch subcompacto. O teto está a cerca de 1,9 metro do chão, o que dificultaria a entrada em qualquer garagem nos prédios de São Paulo.

Se os espelhos retrovisores forem incluídos, a largura da cabine ultrapassa os dois metros. São medidas impensáveis para os grandes centros no Brasil, mas que cabem sem aperto em qualquer vaga de shopping americano.

Por dentro, há muito espaço e equipamentos. Som com bluetooth, diversas tomadas de 110v espalhadas pela cabine, câmbio automático, ar-condicionado com diferentes zonas de climatização e forrações de couro estão presentes na maioria dos modelos.

Os motores, claro, são igualmente enormes. As opções V8 das três picapes mais vendidas têm aproximadamente 400 cv cada e consomem litros de gasolina sem dó, não vão muito além dos 6 km/l na cidade.

Mesmo com tecnologias que desligam parte dos cilindros quando não há necessidade de potência máxima, não dá para obter economia de um veículo que pesa quase três toneladas.
Esse é um sinal de que os norte-americanos ainda irão demorar muito tempo para aderir aos carros "verdes".
 

Leia Também