Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

SEGURANÇA

Venda de seguros cresce 71% em 5 anos

24 OUT 2010Por ADRIANA MOLINA00h:20

O crescimento da economia brasileira fez aumentar a venda de seguros nos últimos cinco anos. Apenas em Mato Grosso do Sul, houve acréscimo de 71,3% na comercialização do produto entre 2005 e 2009 que, em 47% dos casos, foi comprado por pessoas preocupadas em amparar a família em casos de morte, através do seguro de vida.

Em 2005, esse mercado movimentou R$ 366,3 milhões no Estado. Já em 2009, foram comercializados R$ 627,5 milhões e, de 2010 até agora, são R$ 436,6 milhões investidos em segurança familiar, veicular ou empresarial, segundo o Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Resseguros, de Previdência Complementar e de Capitalização nos Estados do Paraná e do Mato Grosso do Sul (Sindseg – PR/MS).

A estimativa é de que Mato Grosso do Sul feche este ano com mais de R$ 690 milhões aplicados no segmento - projeção de crescimento de 10% sobre 2009. Se comparado com 2005, a projeção atinge 88,3% de aumento dos valores contratados em seguros.

No Brasil, as vendas desse tipo de produto atingiram quase R$ 78 bilhões em 2009 – cerca de 83,5% mais que o valor de 2005, quando foram contratados R$ 42,5 bilhões em seguros no País.

 

Mais capitalizados
De acordo com o presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros, Capitalizações e Previdência Privada no MS (Sincor-MS), Milton Rodrigues, o aumento expressivo para o setor pode ser considerado um reflexo da melhoria na situação econômica das famílias brasileiras, confirmada também em Mato Grosso do Sul.

"Toda vez que a economia melhora, faz com que as pessoas mudem de classe social, alcancem uma classe mais elevada. Com essa mudança elas tendem a buscar proteção para seus bens e sua família através dos seguros", explica.

Segundo o presidente, hoje os contratos de seguros são feitos pelas classes de "A" a "C", sendo que o maior volume encontra-se na "C" (população com renda domiciliar entre R$ 2.040 e R$ 5.100, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE), pela classe ter grande número de pessoas incluídas.

 

 

 

Leia Também