Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Criativo

Vencedor de bolão na web sobre mensalão ganhará pizzas

5 SET 2012Por Terra09h:55

O julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF) vai terminar em pizza para o internauta que acertar o destino dos réus do processo em um bolão realizado na internet. A ideia é do analista de sistemas Luiz Fernando Mascarenhas, de 25 anos, que criou o site Bolão do Mensalão (www.bolaodomensalao.com.br). Na página, o internauta visualiza a relação completa dos acusados e pode deixar o seu palpite se o réu será absolvido, condenado ou preso. "Nós queremos mostrar a nossa indignação com a possibilidade de que esse julgamento não dê em nada", afirma o paulista de Sorocaba.

Antes mesmo de registrar sua opinião, o internauta já supõe qual é a aposta dos criadores do bolão. Com uma logomarca adornada por uma fatia de pizza, o site não esconde o temor de que o processo termine sem punições: "Nossa ideia com este site é organizar um protesto e deixar clara a indignação de boa parte da população, que já sabe o resultado final do julgamento", afirma o texto de apresentação da página. "O que todo mundo sabe é que dificilmente qualquer um deles (os acusados) sairá preso no final do julgamento", diz.

A página está no ar desde o primeiro dia do julgamento do mensalão e, até agora, quase 1 mil pessoas já deixaram os seus palpites. Para votar, o internauta só precisa escolher uma entre as três opções para cada réu (inocentado, condenado ou preso), cadastrar um e-mail válido e enviar.

"A ideia surgiu em um fórum de discussões na internet. Em um dos tópicos, começamos a conversar sobre o julgamento que estava a um mês do início", conta Luiz Fernando. Quando o STF decidir o futuro de todos os réus da ação penal 470, o criador do site promete premiar com pizzas os apostadores que acertarem os veredictos "ou os que chegarem mais perto".

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também