sexta, 20 de julho de 2018

Veja diz que polícia pode ouvir irmão mais novo de Isabella

6 ABR 2008Por 09h:25
     

        A morte da menina Isabella Nardoni, aos 5 anos de idade, pode ter uma testemunha-chave: o irmão, de 4 anos, por parte de pai. Para a polícia, é possível que seja dele, e não de Isabella, a voz de criança que gritava "pára, pai, pára", poucos minutos antes de Isabella ter sido encontrada caída no gramado do prédio em que seu pai e a madrasta moravam. A informação é da edição da revista Veja desta semana, segundo a qual, a polícia estuda a possibilidade de ouvir o garoto, mas o depoimento dependeria de autorização do Ministério Público.

        De acordo com a revista, os responsáveis pela investigação formularam a hipótese de que Isabella teria sido agredida por um dos integrantes do casal ainda no carro, no trajeto para casa. Com isso se explicariam os vestígios de sangue encontrados no interior do veículo, na maçaneta da porta de entrada do apartamento e em diversos cômodos da casa. A polícia cogitaria da possibilidade de a agressão ter continuado no apartamento, o que teria levado o irmãozinho a pedir que a agressão cessasse.

        Conforme a reportagem, o corpo da menina apresentava sinais de asfixia sofrida antes da queda da janela. Por isso, investigadores consideram a possibilidade de, em dado momento, Alexandre Nardoni, de 29 anos, e a mulher, Anna Carolina Jatobá, de 24, terem achado que a menina estivesse morta. Ao jogá-la pela janela, estariam tentando acobertar o que já supunham ter sido um assassinato.

        Para a revista, essa possibilidade é chocante, e o dano ao casal será irreparável caso não se prove a culpa deles. Por essa razão, ela só será adotada oficialmente pela polícia se as evidências forem mesmo conclusivas.

Leia Também