quarta, 18 de julho de 2018

BOM PREÇO

Valorização da soja eleva venda antecipada em MS

21 OUT 2010Por Carlos Henrique Braga02h:00



Agricultores aumentaram a venda antecipada da soja para aproveitar os bons preços atuais do grão no mercado. Vendendo pelo alto valor de hoje, o lucro estará garantido no recebimento, em março do ano que vem. Até agora foram comercializados 21,7% da safra 2010/11 de Mato Grosso do Sul, com produção estimada em 4,9 milhões de toneladas. Esse percentual beirava os 15% no mesmo período da safra anterior, segundo o analista da Granos Corretora, Carlos Davalos, de Campo Grande.
A saca da soja foi cotada a US$ 22 (R$ 39,9), ontem. “Os preços estão muito, muito bons. Recomendo que vendam agora”, diz o diretor da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja), Almir Dalpasquale. Na safra passada, o grão era vendido por 15% a menos (R$ 33,9), por isso era melhor esperar os preços subirem antes de oferecer a produção às tradings, as empresas de comercialização. Na época, a venda a termo não chegou a 20% do total produzido, de acordo com Dalpasquale. “Historicamente, o produtor vende 30% do que produz antes, mas, como era um ano ruim, ele não quis fazer isso”.
O impulso da cotação na safra atual é explicado pelo maior consumo chinês e redução da produção na Argentina e nos Estados Unidos. Para botar mais fogo no preço, a China anunciou importação de 50 milhões de toneladas para abastecer seu gigante mercado interno. “É muita coisa, isso é quase a produção de uma safra na Argentina”, compara o analista da Granos.
Comercializar no mercado a termo evita risco de prejuízo com a possível desvalorização do grão. Por outro lado, se a valorização continuar, o produtor deixa de ganhar.  Produtores descapitalizados costumam optar por outro tipo de venda antecipada: o pré-financiamento. Nessa forma, ele financia a lavoura negociando com lojas agropecuárias, por exemplo, e paga a conta com sacas do produto no valor equivalente.
A referência para o preço da oleaginosa é sua cotação na Bolsa de Chicago (CME). Para os contratos com vencimento em maio de 2011, o bushel (27,21 quilos) foi negociado ontem a US$ 12,35 (R$ 20,7), com alta de 32 pontos.

Leia Também