Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

MATO GROSSO DO SUL

Vale Universidade atende 1,1 mil estudantes

20 MAI 2011Por da redação09h:09

O Vale Universidade, criado há quatro anos pelo governo do Estado, vem transformando a vida de centenas de estudantes. Antes da criação deste benefício, famílias de baixa renda viviam o drama de garantir a educação de seus filhos somente até o nível médio. Hoje, são 1.120 universitários (incluindo o Vale Universidade Indígena) que contam com esta importante ferramenta social, que impulsiona a qualificação profissional e concretiza a realização de um sonho.

Além de auxiliar financeiramente os que não têm condições de bancar seus estudos universitários, o programa dá oportunidade de garantir capacitação profissional por meio dos estágios em funções importantes dentro do Poder Legislativo, Judiciário e Executivo, além de ONGs.

Em dezembro de 2007, quando o governador André Puccinelli em seu primeiro mandato criou este benefício social, com ajuda da equipe da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas), ele procurou estabelecer normas com requisitos básicos e rígidos para atender aqueles que, realmente, enfrentavam uma barreira econômica para continuar com seus sonhos. O objetivo foi sempre atender jovens que desejavam ser professores, advogados, médicos, administradores, dentistas, entre outras profissões, mas não tinham condição financeira para arcar com seus estudos.

O auxílio do Vale Universidade beneficia universitários de 75 municípios, oito distritos e dois assentamentos de Mato Grosso do Sul. Por ano, o Estado investe cerca de R$ 6,8 milhões neste programa. Este benefício social, em dezembro de 2009, foi transformado em lei. Desta forma, independente da mudança de governos, esta conquista dos universitários vai ser mantida.

Triagem

No caso do Vale Universidade o acadêmico recebe uma ajuda de até um salário mínimo para custear seus estudos. A Setas criou um software específico para monitorar os interessados neste benefício social, com o objetivo de facilitar a triagem e atender realmente aqueles que mais necessitam. Há um processo de inscrição online no início de cada ano para que o candidato ao benefício social se inscreva. Após a inscrição é feita a classificação por renda, por meio do sistema informatizado.

Este ano, cerca de 7,5 mil universitários se inscreveram interessados no Vale Universidade e Vale Universidade Indígena. Para disputar o benefício todos apresentaram uma série de documentos, visando comprovar sua condição social. Assistentes sociais visitam os endereços para comprovar a real situação econômica. Somente recebem o benefício, aqueles que residem há mais de dois anos no Estado. Hoje só recebe o benefício quem possui renda individual de R$ 950,00 ou R$ 2.000,00 de renda familiar.

No Vale Universidade, o governo paga 50% do custo da mensalidade, a instituição de ensino contribui com 20% e o universitário entra com 30%. O limite do auxílio é um salário mínimo. Todos os beneficiários fazem estágios em repartições públicas com carga de horária de 20 horas semanais. Já no caso do Vale Universitário Indígena cada estudante recebe seu benefício social para ajuda de custo, uma vez que todos estudam na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

A Setas/Suproes repassa os recursos financeiros às faculdades particulares conveniadas ao Vale Universidade e, aos alunos que estudam em instituições públicas - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). O benefício é pago com o valor equivalente ao desconto concedido nas universidades particulares.

Atualmente, a credibilidade do trabalho realizado pela equipe Setas/Suproes é reconhecido nos órgãos públicos, privados e ONGs. Este ano ocorreram mais de 5 mil solicitações de repartições desejando contar com a participação de um estagiário do Vale Universidade, incluindo o Comando Militar do Oeste, Polícia Federal e Tribunal de Justiça, além das prefeituras municipais.

"Sem esta ajuda não teria como continuar meus estudos"

Vagner Ortiz dos Santos, 19 anos, há dois anos recebe o Vale Universidade. Ele faz o curso de Engenharia Civil na Universidade Uniderp Anhanguera. Ele veio de Jateí, onde era sustentado pelo pai, que trabalha como eletricista e a mãe, que trabalha como doméstica. Quando chegou em Campo Grande, tinha apenas 17 anos e teve que morar de favor na casa de um tio para começar a faculdade. Por falta de recursos, acabou tendo que trancar o seu curso. Ele estava quase perdendo as esperanças quando soube do Vale Universidade. Fez sua inscrição e graças ao benefício, voltou a estudar. “Sem esta ajuda não teria como continuar meus estudos”, ressalta. Por meio do programa, ele conseguiu estágio no Detran, que também vem lhe dando oportunidade de qualificação profissional.

Ganho de experiência profissional e oportunidade para continuar os estudos sem dívidas na faculdade foram os maiores benefícios do Vale Universidade para a acadêmica Carmem Silvia Cristaldo Alfonso, 23 anos, aluna do curso de Serviço Social da Uniderp Anhanguera. A estudante que hoje está no terceiro semestre da graduação conta que ficou sabendo do benefício oferecido pelo governo do Estado através de uma amiga em seu antigo trabalho em uma loja de departamentos da Capital. “Eu dizia que sempre quis estudar mas não tinha condições, foi aí que uma amiga falou do Vale Universidade porque a irmã dela, que já havia se formado, teve o benefício”, diz Carmem.

“Fiz o vestibular, passei e tive que pagar as mensalidades durante um semestre. Pagava atrasado, juntava as moedinhas porque também tinha que ajudar a minha família e o salário não dava para tudo”, conta. Ela explica que o esforço é por conta da vontade de realizar um sonho que os pais não tinham condições de bancar, “não tinha como”, completa. Ao saber de que foi selecionada para ser beneficiária do Vale Universidade a acadêmica se emocionou: “chorei muito na faculdade. O programa é a esperança de poder continuar a estudar”, afirmou.

Com o benefício a estudante entrou em acordo com sua universidade para saldar as mensalidades atrasadas e hoje se dedica apenas ao estágio do programa no setor de vale-transporte do Vale Universidade na Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas). “Estou ganhando uma boa esperiência profissional na área de assistência social. Com a ajuda da supervisora estou amadurecendo e agora tenho espaço para poder ajudar minha família também”, destacou Carmem.

Já Christiano Leal Araújo, 21 anos, que pertence a uma família humilde de Inocência, foi beneficiário do programa durante um ano (2010). Ele veio para Campo Grande para realizar seu sonho: cursar uma universidade. Conseguiu ingressar no curso de Direito, da Universidade Católica Dom Bosco. Mesmo sabendo que não iria conseguir pagar as mensalidades, começou o curso. Na segunda semana de aula Christiano ficou sabendo do Vale Universidade, financiado pelo governo do Estado e, depois de um mês, passou a receber o benefício.

Além do benefício, o que ele mais gostou do programa é o fato de ter conseguido estágio na assessoria jurídica da Secretaria de Justiça e Segurança Pública. Hoje, ele não precisa mais desta ajuda, pois conseguiu um bom emprego num escritório de advocacia. Para Crhistiano, esta ajuda do governo do Estado é um grande apoio para a formação do cidadão, bem como um incentivo para qualificação da população.

“É bom para todo mundo porque o Estado se desenvolve, gera emprego e qualidade de vida. Além do benefício financeiro, tem a ajuda psicológica pois tenho uma perspectiva de um futuro melhor. Posso afirmar que o programa Vale Universidade foi o que me fez estar onde estou. Me sinto muito feliz com a minha vida hoje”, afirma.

Entidades parceiras

As Instituições de Ensino Superior conveniadas neste período são: Aems, Fachasul, Facsul, FAD, FAP, FCG, Fecra, Funlec, Magsul, Santa Tereza, UCDB, UEMS, UEMS-Indígena, UFGD, UFMS, Unaes Campus I e II, Uniderp, Uniderp II e Unigran.

Leia Também