terça, 17 de julho de 2018

Urbanização de córregos exigirá R$ 145 milhões

27 SET 2010Por 08h:12

Os dois maiores projetos que serão executados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2, em Campo Grande, serão a urbanização dos córregos Bálsamo e Lageado, revitalizando a região da saída para São Paulo. O primeiro terá investimento de R$ 67,6 milhões e o segundo, de R$ 77,4 milhões, totalizando R$ 145 milhões. Serão construídas duas avenidas, assim como as feitas em outros córregos da cidade (Buriti-Lagoa, Imbirussu-Serradinho, Segredo e Cabaça).
De acordo com Nelsinho Trad, a obra no Bálsamo terá a remoção de 482 famílias (investimento de R$ 20,2 milhões em habitação), R$ 44,5 em infraestrutura e R$ 2,8 milhões em equipamentos sociais. A via passará pelos bairros Jardim Centenário, Alves Pereira, Pioneiros, Universitário, Dr. Albuquerque e Rita Vieira.
Na mesma região da cidade, haverá intervenção no Córrego Lageado, que exigirá investimento de R$ 77,4 milhões. As melhorias começarão na altura da BR-163 até a Rua Evelina Selingardi (próximo ao Dom Antônio Barbosa), passando pelos bairros Centro-Oeste, Alves Pereira, Pioneiros, Los Angeles, Centenário e Lageado. Serão R$ 52,6 milhões em infraestrutura, R$ 1,5 em equipamentos sociais e R$ 23,2 milhões em habitação, com a construção de 553 casas.
O PAC 2 recebeu propostas para continuidade da primeira parte do programa, nos córregos Segredo e Cabaça, que terão, respectivamente, R$ 34,8 milhões e R$ 10,5 milhões. Outra via que será prolongada é a do Imbirussu-Serradinho, que chegará até os bairros Santo Amaro, José Abrão, Jardim Fluminense e Parque dos Laranjais. Esta obra está orçada em R$ 54,5 milhões. A avenida do Segredo chegará até o Bairro Nova Lima, na Avenida Consul Assaf Trad. Será necessária a remoção de 249 famílias. Taquaral Bosque, Bosque da Esperança, Jardim Arco-Íris e Parque Taquaral receberão pavimentação, drenagem e recuperação ambiental na área que já sofreu com enxurradas e levou trecho do anel rodoviário, em janeiro de 2007, deixando a BR-163 interrompida. O total investido é de R$ 9 milhões.
A Prefeitura mexerá, novamente, no Rio Anhanduí, desde a altura da Avenida Marinha, na Coophavila II, até a Avenida Salgado Filho, totalizando R$ 43,6 milhões. Será feito o manejo de águas pluviais e urbanização. Outro ponto crítico, que constantemente apresenta inundações, é próximo do Atacadão, região da saída para São Paulo, onde passam os córregos Areias e Cabaça. Serão aplicados R$ 17 milhões. (ST)

Leia Também