segunda, 23 de julho de 2018

Umidade relativa do ar continua em estado de emergência

28 AGO 2010Por 15h:30
     

Mais uma semana quente e seca em Mato Grosso do Sul. O clima de "deserto" predomina e os cuidados com a saúde precisam ser redobrados. No céu, a poluição acumulada no ar pode ser vista no final da tarde, com o pôr-do-sol.

De acordo com o Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul (Cemtec), uma massa de ar quente e seco mantém o dia ensolarado e com baixa umidade relativa do ar no Estado.

Um sistema de baixa pressão amanhã causará chuvisco e significativa queda na temperatura, no sul do Estado, segundo dados do Cemtec.

Mas enquanto a chuva não vem, em função das condições severas, a Defesa Civil aconselha não praticar atividades ao ar livre e evitar exposição ao sol entre 10 e 17 horas. O período que vai até às 16 horas, antes de o sol se pôr, é o mais crítico. Além de evitar a perda de líquido, é importante repô-lo ao organismo, com a ingestão de muita água para evitar desidratação.

O tempo seco preocupa porque propicia problemas de saúde. Os mais recorrentes são rinite, asma e bronquite.

Dicas simples, no entanto, colaboram para a melhoria da qualidade de um ambiente, como colocar uma bacia cheia d?água na sala e quarto.

O acúmulo de poluentes é outra consequência ruim da temperatura seca. Por isso é normal que nessa época haja irritação no olhos e sintomas de garganta seca. A indicação para esses casos é mesma: hidratação.

Para uma noite de sono tranquila, recomenda-se que o local esteja arejado e umedecido. Além dos aparelhos umidificadores, outra opção prática e mais barata é a utilização de toalhas molhadas ou recipientes com água.

        

Leia Também