Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Um sonho que se tornou realidade

19 AGO 10 - 06h:07
OSCAR ROCHA

Com produção estimada em aproximadamente R$ 4,3 milhões – destes, R$ 3,9 milhões captados – e sete semanas de filmagens – grande parte em Mato Grosso do Sul – estreia amanhã com 19 cópias, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Campo Grande o primeiro filme dirigido pelo ator Marco Ricca, “Cabeça a prêmio”, baseado em livro de Marçal Aquino.
Parte da equipe de produção, incluindo o diretor, alguns participantes do filme como os atores Alice Braga e Cássio Gabus Mendes, além do produtor Paulo Schimidt, estiveram na Capital na terça-feira à noite, na sessão de pré-estreia, no Cinemark. “Campo Grande é o único local do País onde faremos a pré-estreia. Era um sonho fazer um filme aqui e acabou se tornando realidade. Esta produção é em homenagem à coragem e à compreensão do povo sul-mato-grossense”, destacou o diretor.
A trama gira em torno de um família de pecuarista, que também faz tráfico de drogas. O líder, interpretado por Fúlvio Stefanini, tem uma filha (Alice Braga) que vive um romance proibido com um aviador uruguaio (Daniel). Por outro lado, sofre a pressão do irmão (Otávio Muller), que quer substituí-lo no esquema criminoso. Ainda há dois matadores de aluguel (Eduardo Moscovis e Cássio Gabus Mendes), que trabalham para o pecuarista traficante, vivendo dilemas “éticos” e existenciais.
É possível observar, durante a projeção, cenas realizadas na Feira Central de Campo Grande, arredores da antiga rodoviária, periferia  da Capital, Avenida Afonso Pena, além de cenários em Bonito, Sidrolândia e Corumbá. “Fugimos do clichê quando se pensa em paisagem desta região, que sempre enfatiza mais o Pantanal. As pessoas de fora daqui quando veem o filme ficam impressionadas com as diferenças de cenários que conseguimos, com as paisagens naturais e os espaços urbanos”, destaca Ricca.
A atriz Alice Braga não poupou elogios ao período em que esteve no Estado e o que encontrou. “A coisa que mais marcou durante a estada em Mato Grosso do Sul foi a recepção das pessoas. No caso específico de Campo Grande, que é uma cidade belíssima, foi encontrar um lugar tão feliz e receptivo. Por isso fiz questão de estar aqui na pré-estreia, agradecer o que recebi”, enfatiza Alice, que atualmente tem representativa carreira internacional, atuando ao lado de Will Smith em “Eu sou a lenda” e grande elenco em “Ensaio sobre a cegueira” e “O predador”.
Para a atriz, a personagem que interpreta é diferente das outras que fez. “Ela é moderna, destemida e tem muito do que observei na região”. A atriz que apresenta também o programa “Superbonita”, na TV por assinatura GNT, depois de filmar a produção americana “O rito”, estuda outros projetos cinematográficos.
Para Marco Ricca, o filme possibilita várias interpretações, desde uma família se destruindo até personagens em situações-limite, mas diz que procurou, antes de mais nada, fazer um filme de personagens fortes, no qual o ator fosse elemento central. “Acho que consegui isso, é somente ver o que estes atores fazem em cena”.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

RESTRIÇÃO

Trump limitará vistos para grávidas para frear 'turismo de maternidade'

Mesmo sem confirmar convite, Regina Duarte escolhe 'número 2' da Cultura
SECRETARIA

Mesmo sem confirmar convite, Regina Duarte escolhe 'número 2' da Cultura

NESTE ANO

Governo vai alterar sistemática de correção do salário mínimo, diz Waldery

Petrobras reduz preço da gasolina e do diesel para distribuidoras
REAJUSTE

Petrobras reduz preço da gasolina e do diesel para distribuidoras

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião