Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 15 de dezembro de 2018

Um sonho que se tornou realidade

19 AGO 2010Por 06h:07
OSCAR ROCHA

Com produção estimada em aproximadamente R$ 4,3 milhões – destes, R$ 3,9 milhões captados – e sete semanas de filmagens – grande parte em Mato Grosso do Sul – estreia amanhã com 19 cópias, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Campo Grande o primeiro filme dirigido pelo ator Marco Ricca, “Cabeça a prêmio”, baseado em livro de Marçal Aquino.
Parte da equipe de produção, incluindo o diretor, alguns participantes do filme como os atores Alice Braga e Cássio Gabus Mendes, além do produtor Paulo Schimidt, estiveram na Capital na terça-feira à noite, na sessão de pré-estreia, no Cinemark. “Campo Grande é o único local do País onde faremos a pré-estreia. Era um sonho fazer um filme aqui e acabou se tornando realidade. Esta produção é em homenagem à coragem e à compreensão do povo sul-mato-grossense”, destacou o diretor.
A trama gira em torno de um família de pecuarista, que também faz tráfico de drogas. O líder, interpretado por Fúlvio Stefanini, tem uma filha (Alice Braga) que vive um romance proibido com um aviador uruguaio (Daniel). Por outro lado, sofre a pressão do irmão (Otávio Muller), que quer substituí-lo no esquema criminoso. Ainda há dois matadores de aluguel (Eduardo Moscovis e Cássio Gabus Mendes), que trabalham para o pecuarista traficante, vivendo dilemas “éticos” e existenciais.
É possível observar, durante a projeção, cenas realizadas na Feira Central de Campo Grande, arredores da antiga rodoviária, periferia  da Capital, Avenida Afonso Pena, além de cenários em Bonito, Sidrolândia e Corumbá. “Fugimos do clichê quando se pensa em paisagem desta região, que sempre enfatiza mais o Pantanal. As pessoas de fora daqui quando veem o filme ficam impressionadas com as diferenças de cenários que conseguimos, com as paisagens naturais e os espaços urbanos”, destaca Ricca.
A atriz Alice Braga não poupou elogios ao período em que esteve no Estado e o que encontrou. “A coisa que mais marcou durante a estada em Mato Grosso do Sul foi a recepção das pessoas. No caso específico de Campo Grande, que é uma cidade belíssima, foi encontrar um lugar tão feliz e receptivo. Por isso fiz questão de estar aqui na pré-estreia, agradecer o que recebi”, enfatiza Alice, que atualmente tem representativa carreira internacional, atuando ao lado de Will Smith em “Eu sou a lenda” e grande elenco em “Ensaio sobre a cegueira” e “O predador”.
Para a atriz, a personagem que interpreta é diferente das outras que fez. “Ela é moderna, destemida e tem muito do que observei na região”. A atriz que apresenta também o programa “Superbonita”, na TV por assinatura GNT, depois de filmar a produção americana “O rito”, estuda outros projetos cinematográficos.
Para Marco Ricca, o filme possibilita várias interpretações, desde uma família se destruindo até personagens em situações-limite, mas diz que procurou, antes de mais nada, fazer um filme de personagens fortes, no qual o ator fosse elemento central. “Acho que consegui isso, é somente ver o que estes atores fazem em cena”.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também