Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

Biografia

Um ano após morte, pai de Amy relata luta contra drogas em livro

23 JUL 2012Por Terra08h:15

Foi lançada no dia 26 de junho nos Estados Unidos - e uma semana depois no Reino Unidos - a biografia da cantora britânica Amy Winehouse escrita por seu pai, Mitch Winehouse. Apresentado como seu "conselheiro mais próximo, inspiração e melhor amigo", Mitch promete fazer um retrato de "um dos maiores talentos musicais de nossa época" no livro. Amy, My Daughter deve chegar ao Brasil em agosto, segundo a editora Record, responsável pela publicação da obra por aqui, mas já é possível descobrir um pouco do que está nas 320 páginas da biografia pela repercussão na imprensa internacional.

No livro, o pai da cantora não evita o tema do consumo abusivo de drogas e de álcool por parte da filha e descreve a realidade de sua dependência e a marca que deixou na família e nos amigos. De acordo com o Indepedent, Mitch faz um retrato "impiedoso" do vício. "Poucos pais podem dizer que se envolveram tanto na vida de um filho quanto ele. Foi ele quem tentou, muitas vezes sem sucesso, afastar os traficantes de drogas que tentavam levar pedras de crack para as clínicas de reabilitação dentro de buquês de flores", diz o jornal.

De acordo com a publicação, Mitch deixa claro que o que levou Amy ao fundo do poço foi a combinação do relacionamento com Blake Fielder-Civil, que ele classifica como o "maior vagabundo que Deus já criou", e a dependência de heroína e cocaína. Para piorar a situação, os problemas no relacionamento e as drogas eram a sua maior inspiração na hora de compor, e o sucesso de canções como Back to Black e Rehab acabou reabrindo velhas feridas quando elas já estavam curadas.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também