Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 18 de setembro de 2018

Ultrassom elimina gordura abdominal que faz mal à saúde

6 JAN 2014Por terra15h:45

Após a comilança típica das festas de fim de ano, o ganho de peso acompanhado daquela gordurinha localizada que teima a desaparecer pode ser combatida já no mês janeiro com uma tecnologia prática e indolor.

Trata-se do NARL®517, um aparelho de origem japonesa à base de ultrassom que une intensidade e frequência para queimar, principalmente, a chamada gordura visceral, acumulada embaixo da musculatura do abdômen e em regiões próximas de órgãos importantes, como fígado e pâncreas, que pode aumentar o risco de doenças graves.

Completamente indolor e não invasivo, o equipamento usa a combinação das duas tecnologias para estimular a lipólise (processo de dissolução das móleculas de gordura) por meio da liberação do hormônio noradrenalina, que é um de seus condutores e responsáveis pela liberação da gordura dos depósitos intramuscular e subcutâneo.

 "Esse tratamento pode diminuir até cinco centímetros da circunferência abdominal dos pacientes ao final das sessões e auxiliar no tratamento da síndrome metabólica", ressalta Arlete Coelho Simas, responsável pelo Centro de Estética Arlete, de Florianópolis.

Como funciona?
Antes de se submeter ao método de redução de medidas, a paciente dever ser avaliada por um profissional de saúde que fará a medição da gordura presente na região abdominal e em outras partes do corpo. Depois disso, o tratamento é realizado com a aplicação de quatro placas ultrassônicas nas áreas desejadas.

"Elas ficam concentradas em cada zona durante dez minutos. Neste período, ocorre a liberação do hormônio no organismo, assim como dos ácidos graxos que devem ser rapidamente queimados por meio de exercícios físicos realizados logo após a aplicação do equipamento", explica a especialista.

Para que os resultados sejam alcançados, são recomendadas, em média, de 12 a 16 sessões do procedimento, com duração total de 30 minutos, além, é claro, da prática de atividade aeróbica (corrida, caminhada, plataforma vibratória, entre outros) por, pelo menos, três vezes por semana, durante meia hora, da menor ingestão de gorduras e açúcares, do consumo de dois litros de água por dia e do controle do peso.

Restrições
Apesar de indolor, o aparelho NARL é contraindicado para mulheres grávidas, pessoas com lesões cutâneas em geral, cardiopatas (inclusive portadores de marca-passo), pacientes no período pós-operatório e com tromboses, flebites e varizes (desordens circulatórias).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também