Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 22 de outubro de 2018

Trocando de pele

4 MAI 2010Por 07h:07
Gustavo Monteiro, Bolsa de Mulher

Nos anos 90, limpeza de pele era o must, principalmente entre os adolescentes. Já o peeling se popularizou nos últimos anos, embora tenha surgido na década de 1960. Mesmo com o enorme volume de informação disponível atualmente, ainda existe confusão quanto às indicações para esses procedimentos. Entenda: enquanto a limpeza de pele tem como finalidade retirar cravos, sujeira e células mortas, o peeling visa retirar a camada superficial da derme para deixar a aparência mais lisa, homogênea e elástica.

Os dermatologistas explicam que os procedimentos são completamente diferentes. Eles informam que a limpeza de pele, como o próprio nome diz, tem como objetivo promover uma limpeza profunda. Já o peeling, que pode ser feito por esteticistas ou dermatologistas, retira a camada superficial, fazendo surgir uma nova cútis. A limpeza é indicada para qualquer tipo de pele e pode ser realizada mensalmente, principalmente por quem sofre com a acne.
O peeling funciona bem para os casos de hiperqueratose (excesso de queratina, causador dos calos), controle do excesso de oleosidade, atenuação de rugas finas e profundas e eliminação de manchas. A limpeza perdeu um pouco o glamour porque o acesso à técnica ficou muito mais fácil. Com o aumento da oferta de tratamentos estéticos cada vez mais requintados e diversificados e a elevada quantidade de profissionais atuantes nesse setor, a limpeza deixou de ser um procedimento excepcional e passou à condição de simples e obrigatória, perdendo o destaque de antigamente.

Indicações do peeling
Agora que os conceitos estão claros, entenda como funciona cientificamente um peeling. Primeiro, é preciso deixar claro: o procedimento não substitui de forma alguma a limpeza de pele, ele é complementar. Os tipos mais comuns são: os mecânicos, menos invasivos, e os químicos, normalmente feitos com aplicação de ácido nas camadas superficiais, promovendo descamação e estimulando a produção de elastina e colágeno.
O peeling mecânico, realizado por meio do atrito com as mãos, conta com a aplicação de sementes moídas ou grânulos que arrastam as células mortas da superfície da pele. O químico deve ser feito com ácidos em concentração predeterminada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária para cabines estéticas.

Peeling químico
O que determina a profundidade do peeling é o tempo de permanência do produto. Os mais profundos podem ser feitos apenas por médicos, e não por esteticistas. Depois do peeling químico, faz-se a neutralização com água, nos consultórios de estética, ou outro líquido nos casos médicos.
Ainda falando do peeling químico, normalmente se usa em estética os Ahas (Alpha Hidroxi Ácidos), retirados de frutas, como, por exemplo, o ácido glicólico, da cana-de-açúcar, o ácido kójico, do arroz, o lático, do leite, entre outros. O procedimento afina a pele. Em baixa concentração, a descamação é praticamente invisível, deixa a cútis mais hidratada, brilhante e auxilia a permeação de todos os produtos aplicados a seguir.

Peeling enzimático
Este procedimento é parecido com o químico na forma de aplicação, mas o ativo é um produto à base de enzimas, como, por exemplo, a bromelina do abacaxi, a papaína do mamão ou ainda uma substância obtida da fermentação de lactobacilos. Esse método é menos agressivo que os ácidos, usados até em peles sensíveis, e reduz a camada de queratina, proteína que deixa a pele mais grossa, sem brilho e com resistência à permeação de ativos.
Com o uso dessas esfoliações, pode-se trabalhar procedimentos de clareamento, rejuvenescimento, eliminação da acne, redução da desidratação, etc. Os tratamentos faciais são elaborados na primeira sessão com uma limpeza de pele profunda. Após essa limpeza, os tratamentos podem ser oferecidos como pacotes de dez sessões semanais.

Uma observação importante: impossível zerar completamente os problemas faciais só com peelings. É necessário sempre um conjunto de fatores. Fundamental lançar mão não só de tratamentos estéticos, mas tomar cuidados como alimentação adequada, proteger-se do sol, evitar cigarros e bebidas alcoólicas. Portanto, uma vida saudável é o principal tratamento para uma pele perfeita.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também