segunda, 16 de julho de 2018

Troca de partido deve ser aprovada

8 NOV 2008Por 22h:30
     

Da redação

A reforma política, que já foi chamada por dois presidentes (Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva) de "mãe de todas as reformas", tende a aprovar apenas a "janela da infidelidade". Movimento apoiado por parlamentares tanto da base aliada quanto de oposição ensaia só votar, no início do ano que vem, projeto de lei que permite ao parlamentar trocar de partido nos sete meses anteriores à eleição, sem perder o mandato.

Essa proposta faz parte do pacote da reforma política, conjunto de seis projetos que o Palácio do Planalto pretende enviar até o fim deste ano ao Congresso. A aprovação da "janela da infidelidade" tem sido usada como atrativo para conquistar votos por dois deputados candidatos à presidência da Câmara: Michel Temer (PMDB-SP) e Ciro Nogueira (PP-PI) prometem a seus virtuais eleitores pôr em votação a proposta, assim que assumirem o comando da Casa. "Com certeza, essa questão da fidelidade será um dos primeiros temas a serem tratados na reforma política", diz Temer, que é presidente do PMDB.

Leia Também