quarta, 18 de julho de 2018

SHOW

Trio de hermanos propõe integração musical

29 OUT 2010Por Thiago Andrade00h:10

“Às vezes, as pessoas se esquecem, mas o Brasil também faz parte da América do Sul”, lembra o músico Rodrigo Teixeira. É nesse espírito que a ele se reúnem outros dois importantes nomes da música do Estado, Jerry Espíndola e Márcio de Camillo, para o show “Hermanos irmãos”, que acontecerá amanhã, às 20h, no Teatro Prosa do Sesc Horto. Mas o projeto não se encerra com a apresentação. Na verdade, é a partir dela que ele se desenrola, levando o trio, em janeiro, para outras quatro cidades – no Paraguai e na Argentina. O que os músicos querem é integrar a música sul-mato-grossense com a produção da América Latina.

Nesta segunda reunião – os três já produziram o show “Terceiras intenções”, com repertório autoral – Jerry, Márcio e Rodrigo se voltam para os sons típicos da região, como a polca e o chamamé, para aproximá-los daquilo que outros países latinos criam. O show conta com iluminação de Anderson Lima, som de Anderson Rocha e produção audiovisual de Adrian Okumoto. “Cantaremos canções em guarani e espanhol. Também optamos por arranjos diferentes para canções consagradas. O repertório conta com músicas inéditas, mas também com composições de Almir Sater, Paulo Simões, Mercedes Sosa, Geraldo Roca e Geraldo Espíndola”, descreve o músico Márcio de Camillo.

A tarde quente de quinta-feira, na qual os músicos concederam entrevista na residência de Jerry Espíndola, não diminuiu o ânimo dos três e a empolgação para a apresentação era grande. “Estou tranquilo, eles que estão nervosos”, brinca Jerry Espíndola. O motivo da animação é o tamanho do projeto, que se estenderá pelo corredor cultural da Bacia do Prata, percorrendo as cidades de Assunção, no Paraguai, Corrientes, Buenos Aires e Rosário, na Argentina. “O show de sábado é apenas o começo”, ressalta Rodrigo.

Novas
Entre as canções inéditas, “Hermanos irmãos” surgiu de uma parceria entre o trio e Paulo Simões, Geraldo Roca e Rodrigo Sater. “Cada um deu sua contribuição. Ao final, o Jerry cortou todos os excessos e criamos essa composição, uma espécie de hino e marco do projeto”, descreve Rodrigo. Para o show, os três músicos utilizarão seis diferentes instrumentos de corda, inclusive a viola de arame, que, segundo Márcio, tem sonoridade peculiar, que casa com o que o projeto propõe.

Do primeiro encontro – no qual o trio se preocupava em ressaltar a necessidade de música autoral em Mato Grosso do Sul – para este, que celebra as intersecções culturais do Estado com a América Latina, cinco anos se passaram, o que modificou a paisagem musical e permitiu os novos saltos de Jerry, Márcio e Rodrigo. “Estamos em uma nova fase, queremos explorar esse mercado que é pouco conhecido”, concordam.

Serviço
“Hermanos irmãos” acontece no Teatro Prosa, na Rua Anhanduí, 200. Os ingressos custam R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Informações: 3324-7101.

Leia Também