Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Tribunal de Justiça afasta prefeito do cargo

18 SET 2010Por 07h:07

Maria Matheus

O Tribunal de Justiça afastou Ari Artuzi (sem partido) do cargo de prefeito de Dourados. A decisão é do desembargador Claudionor Miguel Abss Duarte, relativa à Operação Owari, deflagrada em julho do ano passado. Segundo o Ministério Público, Artuzi tentou interferir na produção de provas e, além disso, “fatos novos comprovam a reiteração da prática criminosa”.
As investigações da Polícia Federal, que culminaram na Operação Owari (ponto final, em japonês), revelaram que a organização criminosa era comandada pelo empresário Sizuo Uemura e seu filho, Eduardo. Com a ajuda de Artuzi, considerado “o gerente da quadrilha”, de servidores públicos e de vereadores, a organização criminosa fraudava licitações nas prefeituras de Dourados e região. Os principais alvos da quadrilha era contratos ligados à área de saúde e limpeza urbana, incluindo a coleta de lixo.
No pedido de afastamento, o Ministério Público alegou o surgimento de fatos novos, dentre eles a Operação Uragano (furacão, em italiano), deflagrada em 1º de setembro, que culminou com a decretação da prisão temporária de Artuzi e, posteriormente, a prisão preventiva.
Ainda segundo o Ministério Público, gravações em áudio e vídeo produzidas na Operação Uragano comprovam “a interferência de Ari Valdecir Artuzi na produção de provas” e “a reiteração da prática criminosa” por parte de Artuzi, ou seja, mesmo depois de deflagrada a Operação Owari, o esquema de desvio de verbas na prefeitura de Dourados continuou.
Na decisão em que determinou o afastamento de Artuzi do cargo de prefeito, o desembargador destacou que “apesar de o requerido estar preso, preventivamente, a medida pode ser revogada a qualquer momento”. Para Abss Duarte, a permanência de Artuzi à frente da Prefeitura Municipal de Dourados é ilógica diante das acusações existentes e dos vídeos divulgados em rede nacional, mostrando o recebimento de quantias em dinheiro.
O desembargador observa também que a população de Dourados está revoltada, inclusive, atacou a pedradas a casa do prefeito, o que teria motivado sua transferência para Campo Grande. Artuzi está preso na 3ª Delegacia de Polícia, no Bairro Carandá Bosque.
“As manifestações em frente ao Prédio da Câmara Municipal, da Polícia Federal e demais notícias veiculadas na internet, somadas aos vídeos divulgados, deixa claro que o requerido não tem a menor condição de continuar como administrador daquela cidade até que os fatos sejam efetivamente esclarecidos, sob pena de agravar o caos social e político que a acomete”, concluiu o desembargador.
Abss Duarte mandou comunicar a decisão à presidente da Câmara Municipal, Délia Razuk (PMDB), que terá de assumir o comando da prefeitura. Atualmente, ocupa o cargo de prefeito interino o juiz Eduardo Rocha, porque além de Artuzi, foram presos o vice-prefeito Carlinhos Cantor (PR) e o então presidente da Câmara, Sidlei Alves (DEM). Cantor não foi afastado do cargo. Caso a prisão do vice seja revogada, ele pode assumir a prefeitura.

Leia Também