sexta, 20 de julho de 2018

Três Lagoas pode receber construção de um centro de convenções

15 DEZ 2010Por Rose Rodrigues, Três Lagoas20h:13

O relatório de Viabilidade de construção de um Centro de Convenções em Três Lagoas foi apresentado nesta quarta-feira na prefeitura por uma equipe técnica da Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras (ABRACCEF). A empresa contratada pela administração municipal realizou o estudo de viabilidade considerando as características da cidade e a demanda de um centro de convenções moderno e funcional para atender o setor de turismo de negócios e outros segmentos, um dos mais fortes na cidade. O relatório faz uma abordagem sobre o negócio de eventos, o município de Três Lagoas, o centro de convenções e suas especificidades, conclusões e recomendações.

Segundo a presidente da ABRACCEF e coordenadora geral do estudo, Margareth Sobrinho Pizzatto, o centro de convenções é uma âncora para o município se desenvolver.

Dentre as características recomendadas no estudo, o centro de convenções deverá possuir um auditório com capacidade para 500 pessoas, ocupando uma área de 800m², dotado de palco, camarins, cabines de som e luz, toaletes; um auditório para 250 pessoas com 390m² de área; quatro salas moduláveis para até 100 lugares; um foyer, salas de apoio, área para feiras e exposições com 1.000m² de área, ambulatório, estacionamento para 150 vagas, área de alimentação, entre outras estruturas.

Com base no perfil da cidade, o Relatório aponta como viável a construção de um Centro de Convenções para Três Lagoas. As conclusões do Relatório apontam que a operação de um atualizado centro de convenções, sob as boas práticas administrativas, de comercialização e marketing, terá importante efeito para o conjunto da economia local. A polarização de eventos corporativos, acadêmicos e outros, tende a se refletir sobre amplo espectro de atividades, irrigando um grande número de empresas locais, gerando renda e emprego, criando oportunidades e possibilidade de elevação da receita tributária para os poderes públicos.

 

Leia Também