Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

TRANSPORTE DE ELEITOR

TRE pede apoio às Forças Armadas para evitar compra de voto

4 SET 2012Por JÉSSICA BENITEZ00h:02

Para evitar compra de votos, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou o apoio das Forças Armadas no transporte de eleitores das aldeias Alves de Barros e São João, além da Colônia Cachoeira, todos em Porto Murtinho, no dia da eleição, 07 de outubro. O distrito de Porto Esperança, em Corumbá, também será contemplado pelo sistema. O objetivo é impedir que candidatos disponibilizem transporte aos eleitores que residem em locais de difícil acesso em troca do voto.

A 20ª Zona Eleitoral, em Porto Murtinho, justificou a necessidade do apoio através de ofício, ponderando que se trata de um trecho rodoviário de difícil acesso para o qual não se conseguiu meio de transporte Municipal, Estadual, tampouco particular. Além disso, conforme o documento, o transporte cedido pelo Exército trará maior segurança já que a equipe conhece a região, podendo transmitir informações por intermédio de rádio.

Já a 7ª Zona Eleitoral, responsável pela comarca de Corumbá, alegou precisar do apoio porque o Distrito de Porto Esperança está localizado em um trecho misto (fluvial e rodoviário), também de difícil acesso. Destacou ainda que, habitualmente, o transporte é viabilizado pelo Exército, pois possuem embarcação de tamanho adequado às necessidades da Justiça Especializada.

Além de garantir a acessibilidade de indígenas e eleitores residentes em lugares logisticamente restritos, o auxílio das forças federais servirá para levar as urnas eletrônicas aos respectivos locais de votação. Em relação ao fator segurança, conforme assessoria de comunicação do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE/MS), ainda não foram definidos os municípios que receberão reforço.

Leia mais no jornal Correio do Estado

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também