POLÍTICA

Tratamento para manchas e cicatrizes

Tratamento para manchas e cicatrizes
04/05/2010 07:08 -


É importante lembrar que o tratamento é eficaz principalmente para quem sofre com manchas ocasionadas por cravos ou espinhas, ou até mesmo pela gravidez. É o ideal para quem quer resultado positivo, rápido e seguro. Ainda hoje essa opção ganha espaço de destaque em tratamentos dermatológicos estéticos e ainda é a número um nos consultórios.

Mas se o seu problema deixou de ser superficial, um peeling mais profundo, indicado principalmente para rejuvenescimento, tratamento de cicatrizes e acne, pode ser a solução. Os de média intensidade requerem afastamento das atividades por cinco a sete dias. A paciente precisa ficar em casa devido à descamação e vermelhidão intensas. Também não pode se expor ao sol por 40 dias.

Nessa categoria, o mais utilizado é o peeling com o Ata (ácido tricloro acético a 35%) e o glicólico a 70%. É necessário preparar a pele 15 dias antes com fórmula clareadora para não haver riscos de manchar. É aplicado creme anestésico tópico 30 minutos antes para reduzir o desconforto e a queimação. Após a sessão é passada pomada com corticoide e antibiótico. Realizam com intervalo de 60 dias. Os resultados são obtidos com uma ou duas sessões.
Nos casos de cicatriz de acne, a técnica efetuada é a acrosa: em cada marca aplica-se, com auxílio de um palito de dente higienizado, Ata a 70% ou 80%, depois em todo o rosto o Ata 35%. Outra associação frequente é a solução de Jessener (mix de ácido salicílico, resorcina e ácido lático) e depois Ata para potencializar os resultados.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".