sábado, 21 de julho de 2018

Júlio de Castilhos

Trânsito na via está caótico

13 DEZ 2010Por DANIELLA ARRUDA 01h:10

Com seu canteiro central deteriorado e sem projeto paisagístico, pistas extremamente estreitas, obrigando o motorista a ziguezaguear entre os carros estacionados para poder percorrê-la, rotatórias "atoladas" de carros em horários de pico e sinalização precária, com faixas horizontais apagadas e inexistência de passarela para pedestres, as condições de tráfego da Avenida Júlio de Castilhos induzem o motorista ao comportamento imprudente e tornam a via caótica e perigosa para quem depende da via para utilizar o comércio da região, ir para o trabalho ou chegar ao centro da cidade, entre outros destinos.

"O trânsito (na Júlio de Castilhos) está muito tumultuado. Seria bom se a avenida fosse mais larga e melhorasse a sinalização, com espaço para o pedestre atravessar e também para o ciclista passar", comentou a vendedora Marlene Nascimento, 53 anos, moradora do Residencial Búzios e usuária dos ônibus que trafegam pela via.

Para o motorista de ônibus José Alessandro Carvalho, 33 anos, que há cinco dirige em uma das linhas da Júlio de Castilhos, o maior problema é o grande fluxo de veículos em uma via muito estreita. "A sinalização está boa", avalia. Para complicar o trânsito em uma via já problemática, a rotatória do início da avenida, próximo das obras da Orla Morena, passou a oferecer risco extra de acidentes, conforme o condutor. "Quem vem da Orla Morena para contornar a rotatória não está observando a preferencial. Só cuida quem está subindo a Avenida Marechal Rondon e entra de uma vez na rotatória, podendo causar acidentes. Ali teria que colocar semáforo, como fizeram na Antônio Maria Coelho (cruzamento com a Avenida Noroeste)", sugeriu.(DA)

Leia Também