domingo, 22 de julho de 2018

CRUZEIROS

Transatlânticos contratam 4 mil brasileiros

19 DEZ 2010Por AGÊNCIA BRASIL19h:06

Cerca de 4 mil trabalhadores brasileiros estão sendo contratados para compor a tripulação dos 20 transatlânticos que integram a temporada de cruzeiros marítimos no país, iniciada em outubro passado e que se estenderá até maio de 2011. A contratação atende à determinação do Conselho Nacional de Imigração e corresponde a 25% do total da tripulação dos navios, informou à Agência Brasil o presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), Ricardo Amaral.

“As companhias procuram respeitar [a norma], inclusive visando à boa prestação do serviço ao turista brasileiro, que vai ser atendido por brasileiros falando a língua, o que é algo muito importante”. A média é de 800 tripulantes por navio, dos quais 200 terão de ser contratados no país.

Amaral avaliou que, em comparação aos anos anteriores, o volume de brasileiros usufruindo dessa modalidade de turismo nesta temporada “é o maior de todos os tempos”. A ascensão de uma parcela significativa da população à classe média foi um fatores determinantes desse aumento.

O surgimento da nova classe C e a maior oferta de cruzeiros fizeram com que houvesse um ajuste de preços, explicou Amaral. “Em relação aos preços de alguns anos atrás, os preços hoje são efetivamente mais baixos”. Outros fatores que contribuíram para a evolução do segmento foram a existência de minicruzeiros, mais curtos, que permitem um valor absoluto menor na viagem e a possibilidade de parcelamento em até dez vezes sem juros. “O acesso ao produto é melhor”.

A expectativa da Abremar é que os 20 navios, que permanecerão no Brasil durante quase oito meses, deverão receber 886,8 mil turistas, dos quais, até 20% de estrangeiros. O número representa 23% a mais do que o apurado na temporada 2009/2010.

Isso leva o Brasil a ocupar a 5ª posição no ranking mundial de cruzeiros marítimos. O presidente da Abremar advertiu, contudo, que a maioria dos portos brasileiros está atingindo o limite da capacidade operacional. Para que o segmento continue crescendo no país, Amaral defendeu mais investimentos em infraestrutura portuária. “Vários portos não suportam o atual estágio de desenvolvimento da atividade”.

Segundo o presidente da Abremar, a atividade de cruzeiros marítimos tem um impacto econômico multiplicador muito forte para o país. Além da geração de empregos na cadeia de turismo, a estimativa é que os cruzeiristas impulsionem em cerca de 40% as vendas no comércio local. De acordo com a Abremar, cada US$ 7 mil deixados no país pelos turistas contribuem para a geração de um posto de trabalho.

O impacto econômico da temporada 2010/2011 no Brasil é estimado em US$ 500 milhões. O número de empregos diretos e indiretos gerados alcança 44 mil. Os portos que nesta temporada concentrarão maior movimento de turistas são Santos, Rio de Janeiro e Búzios (RJ).

Leia Também