Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

NARCOTRÁFICO

Traficantes de coca usam nova rota em MS

26 OUT 2010Por MICHELLE ROSSI 01h:15

 

A grande apreensão de cocaína realizada no sábado, em Mato Grosso do Sul, quando foram localizados cerca de 200 quilos da droga, aconteceu na região de Guia Lopes da Laguna, mesmo local onde foi efetuada a maior apreensão de cocaína no Estado – com 725 quilos do entorpecente – ocorrida em maio desse ano. Isso demonstra a existência de uma nova rota em MS. 
 
Na apreensão de sábado,  agentes da Polícia Federal de Ponta Porã estavam monitorando informações recebidas e há alguns dias montaram barreiras na região sudoeste do Estado para interceptar um suposto carregamento de cocaína. De acordo com o delegado que esteve no comando da operação, Jéferson Sakata, as denúncias tinham inclusive a descrição do veículo que transportaria o “carregamento” e durante abordagens numa das barreiras, na MS-382 foi identificada a carga ilegal numa Van com placa de Campo Grande, conduzida por J.A.V., 41 anos. O homem teve o nome preservado pela PF, para não dificultar as investigações. 
 
Ele estava com os dois filhos menores, esposa e sogra. Na revista foram encontrados os tabletes de cocaína no assoalho “preparado” para acondicionar o produto. Segundo os policiais, a droga estava dividida em tabletes enrolados com fita adesiva e também envoltas em bexigas. “Como é um volume muito grande da droga podemos trabalhar com a hipótese de ser um consórcio, ou seja, várias pessoas fazem encomendas e mandam trazê-las num carregamento só”, disse o delegado. O motorista está preso em Ponta Porã e deve ser transferido. Não há informações sobre a procedência da droga, mas o motorista disse que a entregaria em Dourados, de onde deveria seguir para outros destinos – provavelmente São Paulo. 
 
Segundo fontes policiais, o preço do entorpecente para os traficantes está cotado, atualmente, em US$ 2 mil, o quilo, em Mato Grosso do Sul. Conforme avança no Brasil, o preço aumenta e também a qualidade da droga diminui. Muitas das vezes a compra é efetuada por grupo de traficantes (consórcio).
 
Rota do tráfico
A MS-382, local onde foram apreendidos os 200 quilos de cocaína, não tem posto de fiscalização, que seria de responsabilidade da Polícia Rodoviária Estadual (PRE). A ausência de policiamento acaba estimulando o uso da estrada como rota do narcotráfico.
 
A rodovia começa num trecho quase próximo à fronteira com a Bolívia e para quem segue, sentido Campo Grande, o posto de fiscalização mais perto da Estadual será encontrado apenas em Sidrolândia – quase próximo da Capital. 
De acordo com a PRE, há intenção de implantar um posto na região de Bonito – que abrange Guia Lopes da Laguna – local apontado como rota bastante utilizada para tráfico de entorpecentes. Outra unidade também está sendo pleiteada para a região de Fátima do Sul. Atualmente há nove postos da PRE no Estado, o que é insuficiente.

Leia Também