ODILON DE OLIVEIRA

Traficante que queria pagar por morte de juiz deixa o Paraguai

Traficante que queria pagar por morte de juiz deixa o Paraguai
24/02/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Acusado de planejar a morte do juiz federal, em Campo Grande, Odilon de Oliveira, o traficante brasileiro detido desde janeiro de 2005, Nilton Cezar Antunes Verón, em presídio de Assunción, capital do Paraguai, foi extraditado ontem (23) para o Brasil, informou o Ministério Público à imprensa do país vizinho.

Conforme matéria publicada hoje (24) no jornal Correio do Estado, Oliveira disse, por telefone, que ficou sabendo da extradição por meio de um promotor paraguaio conhecido seu. Ele acredita que a vinda do prisioneiro tenha sido solicitada por alguma jurisdição estadual, já que por aqui, Veron não responde a processos na Justiça Federal. Até à noite, nenhum magistrado estadual havia se manifestado sobre a questão.

“Mas recebo essa notícia com tranquilidade, conto com escolta policial e ele [Verón] vai permanecer detido”, disse o magistrado, que deve se aposentar logo e hoje é cortejado por siglas partidárias que querem atraí-lo para candidaturas políticas., visando a eleição deste ano. A reportagem é de Celso Bejarano. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".