CIDADES

Traficante foge e abandona quase uma tonelada de droga na MS-147

Traficante foge e abandona quase uma tonelada de droga na MS-147
26/08/2010 21:04 -


Fábio Dorta, Dourados

A Polícia Militar de Juti, cidade a cerca de 70 km de Dourados, apreendeu na noite de anteontem, por volta das 23h30min, na rodovia MS-147, que liga ao município de Vicentina, quase uma tonelada de maconha. A droga estava em uma caminhonete. O motorista abandonou o veículo e conseguiu fugir, embrenhando-se no mato.
De acordo com nota divulgada pela PM, uma guarnição fazia rondas pela localidade, quando avistou uma caminhonete Chevrolet Montana, vermelha, ano 2003, com placa de Santa Catarina, e que estava com a carroceria cheia. Os policiais mandaram o motorista parar o veículo, mas ele não obedeceu e fugiu em alta velocidade em direção à MS-147.
Foi iniciada uma perseguição e, nas proximidades da Fazenda Aimoré, o motorista abandonou o veículo e aproveitando-se da escuridão fugiu correndo para uma área de mata fechada. Ao vistoriarem a caminhonete os policiais encontraram a droga que estava escondida na cabina atrás dos bancos e na carroceria, coberta por uma lona.
O veículo e a droga foram levados para a Polícia Civil, onde a droga foi pesada, totalizando 917 quilos. O produto estava distribuído em 982 tabletes. No porta-luvas foram encontrados os documentos da Montana. A partir da documentação a polícia vai tentar localizar o proprietário do entorpecente.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".