Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

Traçado da pista garante espetáculo no motocross

20 AGO 2010Por 05h:31
Eduardo Miranda

A pista desenhada pelo especialista norte-americano Justin Barclay para o Grande Prêmio Brasil do Mundial de Motocross, que acontece neste fim de semana em Campo Grande, é garantia de espetáculo para o público de 30 mil pessoas, quantidade esperada pelos organizadores da prova. “São muitas rampas e obstáculos, e a corrida será muito parecida com uma prova de supercross”, explicou o técnico da equipe italiana Garibaldi/Yamaha, Massimo Tomboni.
Enquanto montava a motocicleta do piloto finlandês Harri Kullas, décimo colocado no Mundial na categoria MX2, Tomboni deu detalhes do que espera para as baterias das categorias MX1 (450 cilindradas) e MX2 (250 cilindradas) marcadas para o próximo domingo. “Os pilotos só poderão treinar a partir de sábado, mas posso adiantar que é uma pista que exige muita potência, aceleração e habilidade”, explicou, antes de arriscar sua previsão de como os fãs do motocross reagirão. “As motocicletas vão ficar muito tempo paradas no ar. O público vai adorar”, acrescentou. No supercross, corrida semelhate ao motocross, em lugares fechados, as pistas são repletas de rampas, como a de Campo Grande.
Ontem, todos os pilotos que disputam o Mundial desembarcaram na Capital. Eles participaram de um evento promovido por patrocinadores.
O trabalho no local da prova ficou por conta dos mecânicos, que passaram o dia montando as motos mais modernas do planeta em seu segmento. “Toda a estrutura das principais motos do Mundial é feita de titânio e fibra de carbono, material que deixa as bikes (apelido para motocicletas, em inglês) 40 kg mais leves que uma moto de rua”, explicou Massimo Tomboni.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também