Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

Mudanças

Tombamento da Afonso Pena divide opiniões de campo-grandenses

1 JUL 2012Por DANIELLA ARRUDA00h:00

Possibilidade de tombamento judicial do canteiro central da Avenida Afonso Pena, que foi proposta pelo Ministério Público Estadual nesta semana e atualmente está sob análise do Poder Judiciário estadual, divide opiniões de cidadãos campo-grandenses ouvidos ontem (30) pelo Correio do Estado.

De um lado, está em jogo a preservação das características de um dos maiores cartões postais da cidade, e do outro, a adequação de Campo Grande a um fluxo de veículos cada vez maior a cada ano, o que requer melhorias no sistema de trânsito e em consequência na principal via de circulação da Capital sul-mato-grossense, de 7,5 quilômetros de extensão. Uma delas está em estudo pela Prefeitura — o estreitamento em até 1,5 metro de alguns trechos do canteiro da avenida, para dar lugar a corredores de transporte coletivo, proposta que já foi aprovada pelo Ministério das Cidades.

Embora reconheça que a Prefeitura tem autonomia para promover mudanças no canteiro da Avenida Afonso Pena, o aposentado Ataliba Alli, 71 anos, é contra alterações radicais que possam desfigurar um dos diferenciais da Avenida Afonso Pena, o canteiro arborizado. “Essas árvores estão aí há 80 anos. Eu era moleque e essas árvores eram pequenas, mas o meu pai viu quando elas foram plantadas, na época em que ali (Praça Ary Coelho) era cemitério. Acho que não pode mexer”, comentou.

Leia mais no Correio do Estado

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também