JOGOS OLÍMPICOS

Time para enfrentar Nova Zelândia amanhã ainda é mistério

Time para enfrentar Nova Zelândia amanhã ainda é mistério
31/07/2012 00:00 - TERRA


O técnico Mano Menezes confirmou em entrevista nesta segunda-feira que deverá mandar a campo na quarta-feira, contra a Nova Zelândia, uma equipe diferente da que tem atuado nos Jogos Olímpicos de Londres. Com a vaga nas quartas de final garantida, o treinador quer evitar problemas de última hora.

"Vou esperar amanhã (terça-feira) quando teremos todas as informações. Além do cansaço, temos outra questão que levarei em consideração: o cartão amarelo. Vou ver isso porque ainda não tenho a posição final de que eles serão zerados, mas não podemos correr riscos em função da classificação já alcançada", afirmou.

Desta forma, o atacante Hulk, único pendurado, deve ficar de fora da partida. Ganso já foi praticamente confirmado pelo treinador depois da vitória sobre a Bielorrússia, e outros reservas devem ser escalados. Para definir a situação, Mano vai esperar uma posição do departamento médico da Seleção sobre os mais cansados.

"Nós temos que tomar cuidado. Com jovens você precisa segurá-los, e com mais experientes precisa empurrá-los. Temos um fisiologista na delegação para medirmos isso cientificamente e passar os dados à comissão. Temos que cuidar disso, para que a recuperação seja mais rápida, e controlar aqueles que estão mais inteiros. Temos subsídios melhores para tomar decisões de forma correta", explicou.

Apesar da intenção do técnico em dar descanso, os jogadores dizem estar prontos para atuar na quarta-feira. Neymar, por exemplo, disse que é "fominha" e não quer perder nenhum jogo. O Brasil ainda precisa de um empate para garantir a primeira colocação do Grupo C.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".