Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

EFEITOS DE ACORDO ATÍPICO

Tetila manda DEM e petistas para o inferno

12 JAN 2011Por Adilson Trindade e 00h:00

As declarações do ex-prefeito e deputado estadual eleito Laerte Tetila (PT) de mandar "o DEM para o inferno" com os colegas petistas, que defendiam candidatura própria a prefeito de Dourados, provocou mal-estar na aliança e pode abrir crise política. O futuro presidente regional do DEM, deputado federal eleito Luiz Henrique Mandetta, reagiu tão logo tomou conhecimento das declarações e acusou Tetila de ajudar a afundar Dourados. "As operações da Polícia Federal tiveram início no governo dele. Ele tinha era que estar somando, no intuito de trazer colaborações que vão ajudar Dourados", afirmou. O vídeo com as declarações de Tetila foi postado no Youtube.

Irritado, Mandetta disse que Tetila está "muito mais familiarizado com o inferno" por ajudar a criar um problema sério em Dourados.

Mesmo mandando o DEM para o inferno, o futuro deputado petista justificou sua defesa pela aliança por acreditar na filiação de Murilo Zauith, candidato a prefeito, a um partido da base aliada da presidente Dilma Rousseff. Nos bastidores políticos em Dourados, as lideranças locais já veem Murilo de "malas prontas" para ingressar no PSB depois das eleições.

Na gravação feita por um petista, Tetila evita falar de aliança com DEM. Ele afirma que a coligação é com 15 partidos e mais Murilo. O candidato a prefeito é, no entanto, filiado ao DEM e maior liderança do partido em Mato Grosso do Sul.

Sobre a possível filiação do ex-vice-governador a outro partido, Mandetta diz que não cabe a ele ou a Tetila falarem do assunto. "Quem fala pelo Murilo é o Murilo", disse. Para o líder democrata, "uma pessoa que administrou Dourados esses anos todos" deveria agir com equilíbrio e não fazer "declarações imaturas e pequenas".

O vídeo em questão foi gravado durante a convenção do PT, em que foi homologado o apoio à candidatura de Murilo Zauith. "Estão dizendo que nós queremos coligar com o DEM. DEM coisa nenhuma... que vá para o inferno o DEM".

Para Luiz Henrique Mandetta, Tetila estava "jogando para a plateia, tentando justificar para uma plateia que talvez quisesse ouvir isso". Ele defendeu, no entanto, que esse tipo de argumento, vindo de um agente político que pretende defender uma aliança, não ajuda no processo político de Dourados.

"Os partidos agora são menores. O que tem que se pensar é Dourados. Quem está fazendo aliança tem que estar entrando para ajudar, não para esse tipo de declaração", afirmou.

Mandetta disse também que a população de Dourados não está, neste momento, interessada em disputas partidárias, mas em reconstruir a cidade depois dos escândalos de corrupção na administração de Ari Artuzi (ex-PDT).

O candidato a prefeito de Dourados foi procurado pelo Correio do Estado, mas não foi localizado. Uma assessora atendeu seu celular e informou que ele estaria em reunião. Laerte Tetila também foi procurado pela reportagem e não atendeu às ligações telefônicas.

A convenção do PT de Dourados foi realizada no dia 2 deste mês, após aprovação, em encontro municipal, do indicativo de aliança com o DEM. O PT também indicou a vice de Zauith, Dinaci Ranzi. Parte do PT, em um grupo liderado pela Articulação de Esquerda, se opôs à coligação e chegou a registrar a candidatura do vereador Elias Ishy a prefeito de Dourados. O caso ainda não está encerrado. O TRE deverá julgar recurso de Ishy pedindo a reforma da decisão do juízo de primeira instância para deferir a sua candidatura.

Leia Também