sábado, 21 de julho de 2018

falso testemunho

Testemunha presa por mentir sobre acidente

27 OUT 2010Por Vânya Santos04h:04

 Kenneth Gonçalves Pereira da Silva, de 24 anos, foi preso por volta das 10h de ontem, na 1ª Delegacia de Polícia, acusado de prestar falso testemunho em relação ao acidente de trânsito que resultou na morte da jovem Mayana Almeida Duarte, de 23 anos. A testemunha teria fornecido informações falsas para proteger os amigos Anderson de Souza Moreno, 19 anos, e Willian Jhonny de Souza Ferreira, 25 anos, que estariam disputando racha na madrugada de 14 de junho, na Avenida Afonso Pena, em Campo Grande, quando colidiram no carro de Mayana. Eles foram indiciados por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

A testemunha teria mentido em seu depoimento prestado no dia 16 de junho deste ano. Na ocasião, ele afirmou que Anderson e William não disputavam racha e que o semáforo estava verde quando os condutores passaram pelo cruzamento da avenida com a Rua José Antônio. Porém, pelo menos outras quatro pessoas que presenciaram o acidente afirmaram que os acusados furaram o sinal vermelho e que disputavam racha.

Ele ainda entrou em contradição com os interrogatórios dos indiciados e também com elementos de prova quando falou sobre a quantidade de bebida alcoólica ingerida pelos amigos num bar da região central da Capital, momentos antes do acidente. Em depoimento, a testemunha assumiu que bebeu sozinha quatro cervejas e três doses de tequila registradas numa comanda em seu nome. No entanto, testemunhas afirmaram que a bebida foi consumida por Kenneth, Anderson e William. O acusado de falso testemunho permanecerá preso até que o judiciário conceda liberdade provisória.

 

Acidente
De acordo com a polícia, Anderson conduzia um veículo Vectra e disputava racha com Willian, que dirigia um Uno. Na Avenida Afonso Pena, esquina com a Rua José Antônio, o carro de Anderson colidiu com o Celta, conduzido por Mayana, que foi socorrida e morreu cerca de 10 dias depois. O delegado Márcio Custódio, responsável pelas investigações, deve concluir o inquérito hoje.

Laudos apontaram que o motorista do Vectra trafegava a 110 km/h no momento da colisão. Aos 16 anos, Anderson se envolveu num acidente que resultou na morte de um motociclista, no Bairro Universitário.

Leia Também