Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

Geologia

Terremotos no Japão afetarão clima de Três Lagoas

23 MAR 2011Por Perfil News13h:34

Os recentes abalos que provocaram um terremoto seguido de um tsunami no Japão, causados por um substancial deslocamento do eixo da terra na região daquele país, inevitavelmente irão influenciar no clima de todo o planeta, com ocorrências de alterações inclusive no meio ambiente de MS e de Três Lagoas.

A afirmação foi feita, ontem, pela manhã, pelo geólogo José Luiz Lorenz Silva, do campus de Três Lagoas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Ele falou que, mesmo tendo ocorrido a uma grande distância do Estado e do município, o fenômeno que deslocou o eixo da terra no Japão trará, sem dúvida nenhuma, grandes modificações no clima da região do Bolsão.

“A mudanças, que atingirão todos os hemisférios, poderão vir na forma de chuvas descontroladas, em determinados períodos, e, em outros casos, na forma de climas secos, por exemplo”, disse o geólogo da UFMS. “Os abalos ocorridos no Japão mexeram com a estrutura da terra e isso será sentido em grande parte do planeta”, disse Silva.

DIA MUNDIAL DA ÁGUA

O geólogo foi um dos oradores de evento que lembrou, nesta terça-feira, no plenário da Câmara de Vereadores de Três Lagoas, o Dia Mundial da Água. Além dele, os dez vereadores do município discursaram em alusão à data. Cada um deles leu um trecho da Declaração Universal dos Direitos da Água, além de defender iniciativas, daquela Casa e por parte da comunidade, que permitam o uso racional da água na cidade.

A celebração acerca do Dia Mundial da Água também contou com uma apresentação de um grupo de estudantes ligadas à Fundação Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), sediada no município. As alunas entoaram uma canção que pedia uma maior atenção da comunidade em relação ao uso abusivo e indiscriminado da água.

O geólogo ainda disse que os três-lagoenses precisam respeitar o uso consciente da água, mesmo que a cidade esteja localizada em um local repleto de água doce
 

MUDANÇA DE CULTURA

O geólogo da UFMS também defendeu a mudança de cultura da população do município, no trato com a água e dos mananciais que abastecem a região do município. “As pessoas precisam entender que apesar do município estar em uma região contemplada com um enorme reservatório de água subterrânea, integrante do Aquífero Guarani, é preciso que haja um comportamento de respeito a esses mananciais, por parte de todos, para que essa riqueza continue beneficiando a todos”, afirmou o geólogo.

ABALOS SÍSMICOS

O geólogo recordou que, por se situar em uma região de usinas hidrelétricas, Três Lagoas está propensa a sofrer pequenos abalos sísmicos, por conta do peso que a água dos reservatórios exerce sobre o solo. Ele lembrou que, na década de 80, o município foi palco de um desses abalos, quando fendas foram abertas na terra na região do Parque São Carlos. “Na ocasião essas fendas comprometeram centenas de metros de solo na região daquele bairro, assustando a população”, recordou o geólogo da UFMS.

Leia Também