Segunda, 18 de Junho de 2018

Temporal mata ao menos 63 na Guatemala

31 MAI 2010Por 08h:39
Cidade da Guatemala

Fortes chuvas trazidas pela primeira tempestade tropical da temporada 2010, batizada de Agatha, atingiram a Guatemala e o sul do México no sábado. Até ontem, o total de mortos chegou a 63, mas autoridades disseram que o número de vítimas pode aumentar.
Com ventos de até 75 quilômetros por hora, a tempestade provocou deslizamentos de terras perto da fronteira entre os dois países antes de enfraquecer para uma depressão tropical e se dissipar sobre as montanhas no oeste da Guatemala.

Apesar disso, a Agatha ainda apresentava problemas para a região neste domingo: os resquícios da tempestade devem provocar chuvas de 10 a 20 polegadas no sudoeste do México, na Guatemala e em partes de El Salvador, ameaçando “inundações fatais e deslizamentos de terras”, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, em um boletim, ontem.

O presidente guatemalteco, Alvaro Colom, disse que os rios do sul do país estavam perto de transbordar. Segundo ele, o vale da Cidade da Guatemala enfrentou um volume de chuvas de 4,3 polegadas (10,8 centímetros) em 12 horas, o maior volume desde 1949. Até a noite de sábado, 4.300 pessoas estavam em abrigos e autoridades afirmaram que o número deveria aumentar.

No sábado, deslizamentos de terras na capital mataram quatro pessoas e deixaram outras 11 desaparecidas, de acordo com o porta-voz de resgate do governo, David de Leon. A maior parte da cidade ficou sem eletricidade durante a noite, o que dificultou os trabalhos de busca.
Quatro crianças também morreram soterradas em Santa Catarina Pinula, província localizada a cerca de 10 quilômetros da Cidadã da Guatemala. Já no departamento de Quetzaltenango, 200 quilômetros ao oeste da capital, um desmoronamento atingiu uma casa de família, matando duas crianças e dois adultos, informou o porta-voz.

As estações locais de rádio informavam muitos outros deslizamentos de terras e possíveis mortes, mas tais relatos não puderam ser imediatamente confirmados.
Cesar George, do instituto meteorológico da Guatemala, disse que a comunidade de Champerico recebeu 11,8 polegadas (30 centímetros) de chuvas em 30 horas. “Choveu em um dia o que normalmente chove em um mês.”

Leia Também