Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

japão

Técnicos usam corantes para achar rota de vazamento radioativo

4 ABR 2011Por bbc brasil11h:06

Funcionários da usina nuclear de Fukushima Daiichi estão usando corantes para tentar traçar a rota de escape da água radioativa que está vazando de um dos reatores para o mar.

A fonte do vazamento foi identificada no fim de semana como sendo uma rachadura de 20 centímetros em um poço de concreto no reator 2 da usina.

Os esforços anteriores para fechar a rachadura, usando um polímero altamente absorvente, não tiveram o resultado desejado.

A companhia operadora da usina vem lutando por mais de três semanas para retomar o controle da situação, após o terremoto e o tsunami do mês passado terem destruído os sistemas de resfriamento de Fukushima Daiichi.

Dilema

Segundo o correspondente da BBC em Tóquio Roland Buerk, membros dos serviços de emergência enfrentam um dilema, ao bombear água para os reatores para tentar evitar um superaquecimento.

Isso pode elevar o risco de que água contaminada ao redor da usina escape e contamine o ambiente.

O chefe de Gabinete do governo japonês, Yukio Edano, afirmou nesta segunda-feira que o vazamento na usina precisa ser interrompido “o mais rapidamente possível”.

Segundo Edano, os efeitos cumulativos de um possível vazamento de longo prazo “terão um enorme efeito sobre o oceano”.

Autoridades locais disseram que o material radioativo deverá se dissipar rapidamente no mar, e não apresenta até agora uma ameaça à saúde humana.

Água radioativa

A empresa Tepco, operadora da usina, disse que vai injetar polímeros novamente para tentar bloquear o vazamento, assim que conseguir identificar o caminho de escape da água.

A companhia também tenta remover água radioativa dos porões dos prédios das turbinas em dois dos reatores da usina.

Segundo a TV japonesa NHK, assim que a área for esvaziada começará o trabalho para restaurar o sistema de resfriamento dos reatores.

Segundo relatos locais, a Tepco poderá liberar no mar 15 mil toneladas de água levemente contaminada a partir da terça-feira, para abrir espaço de estocagem para água com níveis muito mais alto de radioatividade.

Como medida temporária, a agência de segurança nuclear e industrial está considerando a possibilidade de construir diques de lama perto do reator 2 para evitar que a água contaminada flua para o oceano.

Mortos

Segundo autoridades japonesas, o número total de mortos em decorrência do terremoto de magnitude 9 e do tsunami do dia 11 já chega a 12.157, com quase 15.500 pessoas ainda desaparecidas.

Mais de 80% das vítimas confirmadas já foram identificadas.

As operações de busca na zona de exclusão de 20 quilômetros no entorno da usina de Fukushima foram suspensas por causa das preocupações com o alto nível de radiação.

Mais de 161 mil pessoas da região atingida ainda estão vivendo em abrigos.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também