sábado, 21 de julho de 2018

Trabalho de recuperação

Técnicos iniciam monitoramento no Rio Apa

5 OUT 2010Por Bruna Lucianer00h:00

 

Começaram as ações efetivas do projeto de recuperação da biodiversidade da bacia do Apa, rio de importância internacional que corta seis municípios brasileiros e paraguaios. Dos 2,2 milhões de euros que a União Europeia vai doar para o projeto, 400 mil já estão disponíveis em conta para a realização da primeira fase, que consiste em estudos nas áreas de água, solo, biodiversidade, cultura, história, marcos legais, economia e florestal, além de ações paralelas.
Segundo Roberto Steil, técnico da Secretaria Municipal de Infraestrutura de Ponta Porã, dois profissionais de cada uma das citadas especialidades, sempre um brasileiro e um paraguaio, trabalham na elaboração desses estudos, que servirão de base para a elaboração dos Planos de Gestão da Bacia Hidrográfica do Rio Apa, de Manejo das Áreas de Proteção Ambiental (APA) e Parques existentes na bacia.
De acordo com Roberto, houve atraso no início dos trabalhos em função da burocracia dos trâmites bancários para a transferência internacional dos recursos. Agora, com parte do dinheiro disponível, a fase inicial de pesquisas, capacitação de equipes e busca de parcerias para efetivar o Acordo do Apa estão a pleno vapor. “Já foram feitas visitas em todos os municípios e o trabalho em campo será intensificado a partir de outubro”, afirma. A segunda etapa, com a elaboração dos Planos de Gestão, deve ter início daqui a aproximadamente seis meses.
Paralelamente à realização dos estudos, as equipes trabalham na busca de parceiros para efetivar o Acordo do Apa, o primeiro de gestão de Bacia Transfronteiriça assinado pelo Brasil. O movimento Mulheres em Ação no Pantanal (Mupan) e a Organização não-governamental WWF-Brasil já sinalizaram apoio à elaboração do Acordo.

Leia Também