Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INTERNACIONAL

Técnicos conectam reatores de usina no Japão a uma linha de energia

Técnicos conectam reatores de usina no Japão a uma linha de energia
22/03/2011 06:48 - g1


Os seis reatores da central nuclear de Fukushima, no nordeste do Japão, já estão conectados a uma linha de energia elétrica externa, depois que um cabo foi instalado no distribuidor das unidades 3 e 4, anunciou a agência de segurança nuclear nesta terça-feira (22).

As unidades 1-2 e 5-6 já haviam sido conectadas nos dias anteriores. Mas apenas os reatores 5 e 6 recebem energia elétrica no momento.

“Temos agora uma linha de energia elétrica que vai até os distribuidores dos reatores, mas ainda temos que verificar cada equipamento antes de colocá-los em funcionamento”, afirmou um porta-voz da agência.

Os técnicos tentam reativar os sistemas de resfriamento convencional. Bombeiros e militares utilizam jatos d'água e um veículo dotado com um mecanismo que permite lançar a água a 50 metros de altura.

Os reatores 3 e 4, muito avariados, são os que representam mais problemas técnicos, assim como a unidade 2, da qual sai uma coluna de fumaça branca.

Dezenas de eletricistas, bombeiros e engenheiros lutam contra o tempo em Fukushima para evitar que a série de acidentes provocados pelo terremoto e tsunami de 11 de março não adquira proporções maiores, em consequência do superaquecimento do combustível radioativo dentro da central atômica.
Entenda a escala usada para classificar acidentes nucleares (Foto: Arte/G1)

(*) Com informações das agências de notícias EFE e France Presse

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...