Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

POLÍTICA

Teatro homenageia Marçal de Souza

Teatro homenageia Marçal de Souza
28/05/2010 06:05 -


OSCAR ROCHA

O Teatro Imaginário Maracangalha, depois de seis meses de pesquisa e ensaios, estreia hoje, às 18h, “Tekoha – ritual de vida e morte do deus pequeno”, na Aldeia Urbana Marçal de Souza, e que, nos próximos dias, será apresentado em diversos pontos da Capital. O grupo, que se especializou em apresentações de rua, surgiu em 2005 e produziu outros espetáculos.

Na nova empreitada enfoca, 26 anos após o assassinato do líder indígena guarani Marçal de Souza, a sua trajetória de vida, a resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas. O fio da narrativa será sua morte e o conflito no julgamento, além de destacar o  papel das instituições como imprensa, igreja, poder público e latifúndio, envolvidas no contexto de sua morte. 

Marçal, guarani-nhandéva, denunciou a invasão de terras pelos fazendeiros, explorações, ilegalidades e desrespeito com as populações tradicionais, e logo foi alvo de perseguição dos latifundiários, recebendo intimidações e ameaças até ser assassinado, em 1983. Os acusados por sua morte foram julgados, mas absolvidos.

Houve o auxílio de  Edna de Souza, filha de Marçal – que esteve com Margarida Marques, jornalista que acompanhou momentos da trajetória de Marçal – conversando com os atores e o diretor. O bate-papo foi importante na fase de pesquisa.

Fernando Cruz, diretor do espetáculo, afirma que “a partir da história de Marçal, pretendemos abrir uma reflexão sobre todas as lutas travadas pelas populações excluídas; lutas que traduzem a resistência de um povo e a garantia de melhores condições de vida. Isso nos remete aos povos quilombolas, aos movimentos populares e sociais, entre tantos outros. Marçal de Souza correlaciona-se com todas essas causas”.
O grupo apresentou quadros da peça em dois importantes momentos da cultura indígena do Estado: em comemoração ao Dia do Índio, na Aldeia Urbana Marçal de Souza, e no evento Ava Marandu. Amanhã, o espetáculo será apresentado às 10h na Praça Ary Coelho, e às 17h, na Aldeia Urbana Água Bonita. No  dia 30, às 15h, será na Aldeia Urbana Darcy Ribeiro.

O grupo foi contemplado pelo edital do Fundo Municipal de Fomento ao Teatro da Fundação Municipal de Cultura de Campo Grande, edição de 2009. O elenco conta com Emmanuel Mayer, Lika Rodrigues, Aniela Paes, Camilah Brito e Mauro Guimarães.

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!