segunda, 16 de julho de 2018

BANCO CENTRAL

Taxa de juros cobrada das famílias sobe no País

29 NOV 2010Por Agência Brasil 11h:50

A taxa média de juros cobrada das famílias subiu um ponto percentual, de setembro para outubro deste ano, e atingiu 40,4% ao ano, segundo dados divulgados hoje (29) pelo Banco Central (BC).

De acordo com o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, o motivo para o aumento da taxa média é uma questão estatística. Segundo ele, em outubro, caiu a participação do empréstimo consignado, que apresenta taxa de juros mais baixa, no saldo do crédito. “Como o crédito consignado tem uma taxa [de juros] mais baixa, na média, há uma elevação na taxa para as famílias”, disse Lopes.

De acordo com o BC, a participação do empréstimo com desconto em folha de pagamento (consignado) no crédito pessoal caiu de 60,6%, em setembro, para 60,4%.

Segundo Lopes, essa queda no saldo do empréstimo consignado, geralmente concedido nas agências, é explicada pela greve dos bancários, que durou de 29 de setembro a 13 de outubro. No caso específico da Caixa e do Banco do Brasil, o retorno ao trabalho ocorreu no dia 15.

No caso das empresas, a taxa média de juros caiu 0,3 ponto percentual para 28,7% ao ano, no período. Com isso, a taxa geral para famílias e empresas ficou em 35,4%, alta de 0,3 ponto percentual.

A inadimplência tanto para famílias quanto para as empresas ficou estável em 6% e 3,5%, respectivamente.

O spread, diferença entra a taxa de captação de recursos pelos bancos e a cobrada dos clientes na hora do empréstimo, ficou 29 pontos percentuais para as famílias, alta de um ponto percentual. Para as empresas houve recuo de 0,4 ponto percentual para 18,1 pontos percentuais.

O prazo médio de financiamentos para as empresas teve redução de dois dias corridos para 383. Para as famílias, a queda foi de três dias corridos para 538.


 

Leia Também