Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Taxa de juros aumenta em todas as modalidades de crédito

17 JUL 10 - 07h:39
VERA HALFEN

As taxas de juros praticadas sobre as compras no crediário, no mês de junho, variam de 2,45% a 8,64% ao mês (a.m.), segundo dados da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), que aponta aumento, em todas as modalidades, na comparação com o mês de maio. A taxa de juros que incide sobre o cartão de crédito foi a única que manteve a estabilidade, registrando 10,69%, em média, ao mês.
A movimentação das vendas do comércio varejista em Campo Grande, em sua maioria, é por meio de crediário. Cerca de 80% dos consumidores da Capital optam por essa modalidade. No shopping, por exemplo, as vendas por meio de cartão de crédito chegam a 85%; já nas lojas do centro da cidade, o volume de vendas a prazo ficam em torno de 75%.
De acordo com o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Ricardo Kuninari, o cartão de crédito é o mais usado entre os compradores do shopping. Nas lojas do centro da cidade, além do cartão de crédito, o uso do cartão da própria loja ou carnês também é bastante utilizado.
Segundo levantamento divulgado pela Anefac, no mês passado o brasileiro pagou menos juros na aquisição de veículos (2,48% a.m.) e mais em artigos de ginástica (8,70% a.m.).

Taxas
A taxa média praticada no crediário, em junho, foi de 5,88% ao mês; 0,05 ponto percentual superior à taxa de 5,83% a.m. praticada em maio, sendo que todos os setores apresentaram alta em suas taxas de juros no mês passado. A quinta elevação do ano pode ser atribuída à alta de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic), promovida pelo Banco Central no mês passado.
O aumento ou redução das taxas de juros são determinados pelas instituições financeiras, baseados em cinco fatores: custo de captação, depósitos compulsórios, despesas administrativas, margem líquida do banco (lucro) e o risco (inadimplência), que é o único item que pode ter alguma variação por setor. Também os prazos para financiamento e a competição entre os bancos determinam as taxas.
Para pessoa física, das seis linhas pesquisadas, a única que não registrou aumento foi o cartão de crédito rotativo, segundo a Anefac. A taxa de juros média geral foi elevada em 0,04 ponto percentual, o que representa alta de 0,58%, passando de 6,86% ao mês em maio, para 6,90% ao mês em junho. Esta é a maior taxa média registrada desde de fevereiro deste ano.
Para pessoa jurídica, todas as linhas de crédito foram elevadas e a taxa de juros média aumentou 0,05 ponto percentual – uma alta de 1,36% – passando de 3,67% ao mês em maio/2010 para 3,72% ao mês em junho/2010. É a maior taxa média desde novembro/2009.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Confira o horóscopo deste domingo
ASTRAL

Confira o horóscopo deste domingo

CORREIO RURAL

Fertilizantes: código de uso sustentável recomenda boas práticas

BRASIL

Falta de objetividade na Justiça tem custo alto, diz Alexandre de Moraes

BRASIL

Presidente do Sindicato dos delegados de PF critica Bolsonaro

Mais Lidas