quinta, 19 de julho de 2018

Taxa de juros aumenta em todas as modalidades de crédito

17 JUL 2010Por 07h:39
VERA HALFEN

As taxas de juros praticadas sobre as compras no crediário, no mês de junho, variam de 2,45% a 8,64% ao mês (a.m.), segundo dados da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), que aponta aumento, em todas as modalidades, na comparação com o mês de maio. A taxa de juros que incide sobre o cartão de crédito foi a única que manteve a estabilidade, registrando 10,69%, em média, ao mês.
A movimentação das vendas do comércio varejista em Campo Grande, em sua maioria, é por meio de crediário. Cerca de 80% dos consumidores da Capital optam por essa modalidade. No shopping, por exemplo, as vendas por meio de cartão de crédito chegam a 85%; já nas lojas do centro da cidade, o volume de vendas a prazo ficam em torno de 75%.
De acordo com o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Ricardo Kuninari, o cartão de crédito é o mais usado entre os compradores do shopping. Nas lojas do centro da cidade, além do cartão de crédito, o uso do cartão da própria loja ou carnês também é bastante utilizado.
Segundo levantamento divulgado pela Anefac, no mês passado o brasileiro pagou menos juros na aquisição de veículos (2,48% a.m.) e mais em artigos de ginástica (8,70% a.m.).

Taxas
A taxa média praticada no crediário, em junho, foi de 5,88% ao mês; 0,05 ponto percentual superior à taxa de 5,83% a.m. praticada em maio, sendo que todos os setores apresentaram alta em suas taxas de juros no mês passado. A quinta elevação do ano pode ser atribuída à alta de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic), promovida pelo Banco Central no mês passado.
O aumento ou redução das taxas de juros são determinados pelas instituições financeiras, baseados em cinco fatores: custo de captação, depósitos compulsórios, despesas administrativas, margem líquida do banco (lucro) e o risco (inadimplência), que é o único item que pode ter alguma variação por setor. Também os prazos para financiamento e a competição entre os bancos determinam as taxas.
Para pessoa física, das seis linhas pesquisadas, a única que não registrou aumento foi o cartão de crédito rotativo, segundo a Anefac. A taxa de juros média geral foi elevada em 0,04 ponto percentual, o que representa alta de 0,58%, passando de 6,86% ao mês em maio, para 6,90% ao mês em junho. Esta é a maior taxa média registrada desde de fevereiro deste ano.
Para pessoa jurídica, todas as linhas de crédito foram elevadas e a taxa de juros média aumentou 0,05 ponto percentual – uma alta de 1,36% – passando de 3,67% ao mês em maio/2010 para 3,72% ao mês em junho/2010. É a maior taxa média desde novembro/2009.

Leia Também