domingo, 22 de julho de 2018

TAM irá controlar apenas 29% da nova gigante da aviação

14 AGO 2010Por 13h:00
     

A nova gigante de aviação na América Latina, anunciada ontem em acordo entre a TAM e a chilena LAN, terá faturamento somado de US$ 8,6 bilhões. A companhia brasileira ficará com 29,3% e a LAN com 70,6% da participação acionária na nova holding, batizada de Latam Airlines Group, informa Mariana Barbosa, em reportagem na Folha deste sábado. Apesar disso, os acionistas controladores do grupo TAM, a família Amaro, manterão o controle da TAM Linhas Aéreas, com 80% do capital votante e mais uma participação não divulgada na LAN.

De acordo com a reportagem, o memorando de intenções não prevê multa em caso de desistência do negócio nem estabelece prazos para sua conclusão.

As empresas esperam sinergias anuais de US$ 400 milhões com a união, que serão integralmente capturadas três anos após a conclusão do negócio. A expectativa é que um acordo definitivo seja assinado dentro de dois a três meses.

ACORDO

"O grupo formado por meio da operacão oferecerá serviços de transporte aéreo de passageiros para mais de 115 destinos em 23 países e serviços de transporte aéreo de carga para toda a America Latina e para o mundo, contando com mais de 40 mil funcionários", afirmou a TAM em nota enviada à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) ontem.

O acordo estabelece que a TAM fará uma oferta pública de permuta para fechar capital. Por meio da OPA (Oferta Pública de Ações), os atuais acionistas da TAM receberão, no final do processo, 0,9 ação da LAN por cada uma que detém da TAM. A empresa brasileira deixará de ser listada nas Bolsas de Valores de São Paulo e Nova York.

A LAN, enquanto isso, continuará a ter papéis negociados nas Bolsas de Santiago e de Nova York, e também BDRs (Brazilian Depositary Receipts) na Bovespa.

As ações da TAM subiram 27,64% ontem na Bovespa, atingindo R$ 36,20.

De acordo com o comunicado da empresa, a relação de troca das ações da TAM por ações em forma de BDRs da LAN será igual para o acionista controlador da TAM e para os outros acionistas que não fazem parte do grupo de controle, "de forma a garantir o tratamento igualitário dos acionistas."

A LAN terá sua denominação social alterada para LATAM Airlines Group S.A., mas as empresas afirmam que as marcas TAM e LAN Airlines serão mantidas, uma vez que cada companhia continuará a atuar com sua respectiva marca.

A administração da Latam será feita de forma compartilhada. Mauricio Rolim Amaro, hoje vice-presidente do Conselho de Admnistração da TAM, será presidente do Conselho da nova companhia. Enrique Cueto, vice-presidente da LAN, será o CEO (chefe-executivo) e vice-presidente executivo da LATAM.

Ontem, a companhia aérea brasileira anunciou prejuízo líquido de R$ 154,1 milhões no segundo trimestre, o que se compara ao ganho de R$ 555,1 milhões um ano antes.

O Ebitdar (geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel de aeronaves, na sigla em inglês) somou R$ 289,2 milhões de abril a junho, avanço de 75,6% na comparação anual

Leia Também