Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

Tabagismo prejudica o desempenho sexual

13 AGO 2010Por 01h:30
     

        Após o sexo, um cigarro para complementar o prazer... Aquela tradicional cena tantas vezes exibida no cinema, protagonizada por famosos, onde após a relação sexual, fumar um cigarro demonstrava virilidade, status e glamour está, cada vez mais, fora de moda. Isso porque, segundo a medicina, o cigarro prejudica o desempenho sexual, diminuindo o fluxo sanguíneo nos órgãos genitais, o que interfere negativamente na ereção masculina e lubrificação vaginal da mulher. Aliás, o tabagismo definitivamente está em decadência: recente pesquisa do Ministério da Saúde revela que o número de fumantes vem caindo. De 2006 a 2009, o percentual de fumantes da população brasileira caiu de 16,2% para 15,5%.

Além de interferir na qualidade do ato sexual, o hábito de fumar também pode afetar a capacidade de concepção. Mulheres que não fumam têm o dobro de chances de conceber, quando comparadas às fumantes. "No caso dos homens os dados ainda são inconclusivos, mas estudos sugerem que o tabagismo diminui o desejo sexual e afeta o número, a mobilidade e a morfologia dos espermatozóides", afirma André Malbergier, professor doutor e colaborador do Depto. de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

 

Leia Também