Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 20 de novembro de 2018

Suspeito de matar família em Porto Alegre chora ao falar do filho

1 AGO 2012Por terra23h:00

O bioquímico Ênio Luiz Carnetti, suspeito de assassinar a mulher e o filho de 5 anos em um bairro nobre de Porto Alegre foi ouvido no final da manhã desta quarta-feira no Hospital de Pronto-Socorro (HPS) da capital, onde segue internado. Segundo o delegado Cléber Lima, ele se mostrou arrependido do crime e chorou ao comentar sobre o filho.

O delegado esperava ouvi-lo na delegacia, mas como Carnetti não recebeu alta, o depoimento aconteceu no próprio hospital. Lima informou que o suspeito permaneceu a maior parte do tempo calado e alegou que só irá se manifestar em juízo. Ele estava acompanhado de advogados. O delegado também disse que o estado de saúde do investigado é estável - ele se jogou de uma ponte na BR-290 e caiu no Guaíba, depois que teria matado a família.

Carnetti foi salvo por pescadores da região e levado ao HPS. Foi após o resgate que a polícia descobriu o crime e o prendeu. Mesmo no hospital, a sua prisão preventiva já foi decretada.

Duplo homicídio

Os corpos da enfermeira Márcia Calixto Carnetti e do menino Mateus foram encontrados na manhã do dia 26 de julho pela Polícia Militar na casa em que moravam, em um condomínio fechado no bairro Tristeza, em Porto Alegre. As vítimas apresentavam marcas de facada no peito.

Para a polícia, o crime foi motivado por uma suposta traição de Márcia. Carnetti havia imprimido diversos e-mails da mulher, além de um bilhete encontrado no local do crime. O bioquímico teria acessado as mensagens por meio de um software de espionagem.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também