Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

PAGAMENTO DA CARNE

Supermercados tentam driblar prazo menor

26 OUT 2010Por Carlos Henrique Braga04h:00

Supermercados tentam driblar a diminuição de prazos de pagamento da carne imposto por fornecedores de Mato Grosso do Sul. A rede Comper disse, por meio da assessoria,que vai negociar individualmente com frigoríficos para conseguir prazos melhores. Na Rede Econômica, onde a receita da venda de carne corresponde a 12% do total, nenhuma medida será tomada sem avaliação criteriosa da situação.

Na última sexta-feira (22), frigoríficos que compõem a Associação dos Frigoríficos e Matadouros de MS (Assocarnes) decidiram diminuir para 7 dias o prazo que chegava a 28 dias. O objetivo é aumentar o fluxo de dinheiro em caixa para pagar pelo boi, que não para de subir nesta entressafra. Eles afirmam representar 60% da produção de carne no Estado.

O presidente da Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercadistas (Amas), Acelino de Souza Cristaldo, disse ao jornal Correio do Estado que a alternativa para formar caixa fere "as leis de livre comércio e de negociação" e que os negócios serão mantidos com quem oferecer prazos maiores.

Chega de prazo

A discussão foi considerada positiva pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel, que no ano passado encabeçou campanha pela venda de gado à vista para minimizar risco de perdas ao pecuarista. "Isso mostra que a campanha deu certo e que podemos dialogar", disse o dirigente.

Um dos fatores defendidos pela Assocarnes para impor novo prazo foi a pressão que sofreu dos pecuaristas para pagar o boi à vista. "Não conseguimos mais comprar a prazo, e tivemos que nos adequar a isso; os supermercados vão ter que se adequar também", recomendou o presidente da associação, João Alberto Dias.

Leia Também